Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore

Serasa: 15 milhões de brasileiros deixam lista de devedores em 2012

O total é quase 14% maior que o do mesmo período do ano passado

Serasa: 15 milhões de brasileiros deixam lista de devedores em 2012
Feirão Limpa Nome Serasa 2012 | Reprodução
Compartilhe

O número de brasileiros que saíram da lista de inadimplentes bateu recorde neste ano.

Cerca de quinze milhões de consumidores tiveram os nomes retirados da base de devedores nos nove primeiros meses de 2012, segundo dados da Serasa Experian, empresa de informações financeiras.

O total é quase 14% maior que o do mesmo período do ano passado.

Indicadores positivos no mercado de trabalho contribuíram para o movimento, de acordo com o presidente da Serasa, Ricardo Loureiro.

"As taxas de desemprego em patamares historicamente baixos e ganhos salariais acima da inflação foram fatores fundamentais no cenário de regularização das dívidas", afirmou.

LIMPA NOME

Empresas como a Serasa Experian e a Boa Vista têm realizado com frequência mutirões em várias capitais para que consumidores com dívidas em atraso possam renegociar seus débitos com bancos, lojas e financeiras.

Descontos e parcelamentos são oferecidos.

Especialistas ouvidos, no entanto, ressaltam que, mesmo fora dos mutirões, os inadimplentes devem sempre procurar os credores para renegociar pagamentos em atraso, uma vez que as empresas, interessadas em receber, costumam estar dispostas a oferecer facilidades.

CADASTRO POSITIVO

No último dia 18, um dispositivo que pretende melhorar a vida dos que pagam as contas em dia foi regulamentado pelo governo. É o chamado cadastro positivo.

A ferramenta será um banco de dados sobre todos os pagamentos realizados no vencimento correto pelos consumidores, incluindo contas de água, luz, financiamentos e mensalidades escolares.

Dessa forma, a expectativa é que cada consumidor possa barganhar com as empresas taxas de juros menores, mais condizentes com seu perfil individual de risco.

A entrada em vigor do instrumento, no entanto, ainda depende de diretrizes a serem definidas pelo CMN (Conselho Monetário Nacional) sobre a atuação das instituições financeiras nesse sistema.


Tópicos
Compartilhe
Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar