Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore

Em discurso, Alexandre Tombini diz que ritmo de retomada global é incerto

Presidente do Banco Central diz que países emergentes têm como desafio "calibrar suas respostas ao período de transição de saída das políticas monetár

Em discurso, Alexandre Tombini diz que ritmo de retomada global é incerto
O presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, participa de evento no Banco Central | r7
Compartilhe

O presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, disse em discurso no Chile neste final de semana que emergentes como o Brasil têm como desafio "calibrar suas respostas ao período de transição de saída das políticas monetárias não convencionais" dos países avançados, mantendo, ao mesmo tempo, a estabilidade de preços e financeira, as reformas estruturais e o crescimento.

Ao mesmo tempo, Tombini disse que uma combinação de fundamentos fortes e resposta política pragmática contribuíram para deixar "as economias dos mercados emergentes como o Brasil, mais preparadas para uma eventual saída do relaxamento monetário não convencional". Tombini fez discurso durante a 5ª Reunião de Cúpula de Bancos Centrais com Metas de Inflação em Santiago, no Chile, nos dias 15 e 16.

BC: Tombini comemora ajuda dos EUA no controle da inflação

Tombini: BC está "atento" ao dólar e "não deixará de oferecer proteção" cambial

O presidente do BC disse que já é possível ver "uma luz de vela no fim do túnel", referindo-se à retomada da economia mundial, mas ressaltou que o ritmo dessa recuperação é "incerto" e que a normalização das taxas de juros em vários países diante da retomada das principais economias é positiva, mas "cria riscos de transição". "A lição que tiro dos últimos meses é que as autoridades dos mercados emergentes precisam mostrar que estão prontas e capazes de garantir a estabilidade financeira e de preços".

Tombini ressaltou que o processo de normalização das condições monetárias nos mercados globais tem de modo geral "efeito positivo para os emergentes", pois reflete a melhora gradual "da maior economia do mundo", os Estados Unidos. Com essa retomada global e do comércio exterior, segundo ele, os emergentes se "beneficiarão".


Tópicos
Compartilhe
Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar