Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

Briga comercial dos EUA quer retirar empresas chinesas

China diz que adotará medidas para proteger suas empresas.

Compartilhe
Google Whatsapp

A briga comercial entre os dois gigantes da economia mundial pega fogo cada dia. O presidente dos EUA, Donald Trump, proibiu na quarta-feira (16) que as redes de telecomunicações dos EUA forneçam equipamentos a empresas estrangeiras consideradas de risco - uma medida que visa as empresas chinesas primeiro. Uma guerra comercial e tecnológica vis-a-vis está por vir. Com informações do Jornal Le Monde.

 Donald Trump dirigiu o departamento de comércio para elaborar um plano para a execução de sua ordem. Foto: Kevin Dietsch / Pool / EPA 

Em plena tensão comercial com Pequim, o presidente declarou uma "emergência nacional" para fazer esse decreto que era esperado e que visa, em particular, o grande grupo chinês de telecomunicações Huawei, por um longo tempo na mira das autoridades dos EUA. Medida tão justificada pela Casa Branca:

"Os oponentes estrangeiros estão explorando cada vez mais vulnerabilidades nos serviços e infraestrutura de tecnologia da informação e comunicação dos EUA. "

Trump afima que as empresas chiinesas podem estar espionando os dados econômicos e industriais dos ameriocanos.

Briga comercial entre EUA e China deve prejudicar gigante das telecomunicações. Foto: Le Monde.

Na esteira dessa decisão, a China advertiu os Estados Unidos contra "uma violação" das relações comerciais entre Washington e Pequim. Em uma entrevista coletiva, um porta-voz do Ministério do Comércio da China, Gao Feng, alertou:

"Pedimos aos Estados Unidos que ponham fim às suas ações ilícitas (...) para evitar mais danos às relações econômicas e comerciais [ entre os dois países].  "

As restrições dos EUA a equipamentos de telecomunicações estrangeiros em risco "interferem nos direitos legítimos da Huawei ", disse o grupo de tecnologia da China.

Um impacto

O decreto é a medida mais severa tomada pelo governo de Donald Trump contra o setor tecnológico chinês em rápida expansão, particularmente nos mercados emergentes da África, América Latina e Ásia.

Para o líder mundial em equipamentos de telecomunicações, o impacto deste decreto é, no entanto, mais simbólico do que econômico. A Huawei, cujo faturamento atingiu 93,5 bilhões de euros em 2018, realiza a maior parte de suas vendas na Ásia e na Europa, representando as Américas apenas 6,6% de seu resultado anual. Mas o gigante chinês, que pretende liderar a corrida na 5G tem enfrentado desde novembro de 2018 até a onda global de suspeita sobre a segurança de seus equipamentos de telecomunicações.

A Apple também será afetada com a medida, a China promete aumentar o valor dos produtos americanos se o impasse continuar. 


Tópicos
Compartilhe
Google Whatsapp

veja também

Localização

Definir a localização padrão

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Fique por dentro

Receba notícias quentinhas diretamente no seu whatsapp

Continuar

Falta pouco, agora escolha as categorias que deseja receber notícias

Aperte (ctrl + clique) para selecionar vários
Pronto!

Agora você passará a receber novidades diretamente no seu whatsapp.

Termos de uso

Texto

Política de privacidade

Texto

×