Após superar a meta estipulada pelo Ministério da Agricultura na primeira etapa da campanha de  vacinação contra Febre Aftosa, a Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Piauí (ADAPI) está otimista com a segunda etapa, que iniciou no dia 4 de novembro.

Segundo a presidente da ADAPI, Alexsandra Soares, na primeira etapa foram vacinados 1.679.249 bovinos/bubalinos no Piauí. “A meta imposta pelo Ministério da Agricultura continua a mesma e devemos atingir 90% dos animais do nosso rebanho”, disse.

Neste ano, a presidente comemora a criação do Fundo, por meio da Lei 7871 de setembro deste ano, cuja origem dos recursos se dará por receitas provenientes da aplicação de multas pelo descumprimento das legislações sanitárias aplicáveis à defesa agropecuária piauiense. 

Adapi faz controle e inspeção de rebanhos no Piauí (Divulgação)Adapi faz controle e inspeção de rebanhos no Piauí (Divulgação)

"São valores arrecadados pela ADAPI na cobrança de taxas e serviços vinculados às atividades institucionais, previstas em legislação específica: receitas oriundas de convênios, contratos e acordos celebrados pelo Estado do Piauí com instituições públicas e privadas, tendo por objetivo ações de sanidade animal e vegetal; dotação orçamentária própria  com recursos do Tesouro Estadual; transferência de recursos pela União; recursos externos, oriundos de contratos com organismos internacionais; doações de empresas públicas, privadas ou instituições não governamentais; e outros recursos a ele destinados”, explica Alexsandra.

Segundo Alexandra, a Adapi atua para que as regras sejam seguidas para garantir produção de alimentos mais seguros. No entanto, ela diz que existem resistências por parte de alguns produtores.

Controle e inspeção

Alexsandra diz que a Adapi executa ações e medidas de controle, inspeção e fiscalização do trânsito, armazenamento, comercialização, utilização e destinação final das embalagens vazias de agrotóxicos e seus componentes afins, bem com do receituário agronômico e empresas prestadoras de serviços. 

“Analisamos e divulgamos dados sobre o controle de agrotóxicos e afins no Estado, visando a oferecer aos setores competentes subsídios para tomada de decisões. O resultado é benéfico para a população, principalmente, para quem manipula esses produtos químicos e não tem  a informação necessária para evitar danos à saúde”, diz, citando ainda que a ADAPI é o órgão responsável pela autorização de realização de eventos e feiras agropecuárias, atuando na fiscalização sanitária dos animais durante a realização de eventos.