O turismo nacional segue em ritmo de recuperação a partir do retorno das viagens pelo país. Em setembro, as atividades ligadas ao setor registraram um faturamento de R$ 18,1 bilhões – maior volume para o mês desde 2014 (19,8 bilhões). No acumulado do ano, a movimentação financeira já chega a R$ 147,2 bilhões e é 32% maior do que a registrada no mesmo período em 2021.

O crescimento no mês de setembro é puxado pelo transporte aéreo (R$ 6,1 bilhões) e reflete o aquecimento na demanda dos segmentos de turismo de lazer e corporativo. Também contribuiu para o resultado positivo o grupo dos serviços de alojamento e alimentação (R$ 5 bilhões).

Crescimento foi puxado pelo setor aéreo (Divulgação)Crescimento foi puxado pelo setor aéreo (Divulgação)Os dados são do Conselho de Turismo da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), com base em dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e divulgados nesta quarta-feira (23.11). A instituição avalia ainda como positivo o cenário para os próximos meses, considerando a combinação entre Copa do Mundo, alta temporada e a maior procura por destinos nacionais em alternativa a viagens ao exterior.

O ministro do Turismo, Carlos Brito, destaca a mobilização do setor para promover um ambiente mais seguro aos viajantes em todo o país, a partir da adesão ao Selo Turismo Responsável, do Ministério do Turismo.

“Os quase 32 mil selos Turismo Responsável emitidos representa o compromisso de todo o trade turístico em aderir às boas práticas de conduta, a partir de protocolos específicos, para oferecer ambientes mais seguros aos nossos turistas”, afirma. “Esta medida, aliada a uma série de outras iniciativas que adotamos em parceria com o setor, foi fundamental para que pudéssemos retornar as viagens de forma segura e responsável”, conclui Brito.