Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

Comércio aquecido impulsiona a venda de manequins para lojas

Loja de manequins em SP vende 4 mil unidades por mês.

Comércio aquecido impulsiona a venda de manequins para lojas
Comércio aquecido impulsiona a venda de manequins para lojas | Reprodução
Compartilhe

O crescimento dos setores da moda e de acessórios impulsiona também a produção de manequins. O boneco tem papel marcante nas vitrines: ele atrai o cliente para entrar na loja e comprar o produto em exposição.

O mercado de manequins está bastante aquecido, na opinião dos empresários Luís Paulo Oshiro e Wilson Mimura, que atuam no setor. Toda a produção de manequins é feita por empresas especializadas.

?Nessa época do ano, tudo o que se produz já está vendido. Se produzisse mais, estaria vendido também?, diz Oshiro.

Os empresários fazem manequins para lojas populares, tendo o plástico como matéria-prima. ?O manequim de plástico é vantajoso pelo preço. Em relação ao manequim de fibra de vidro ele chega a ser um terço ou um quarto do valor", explica Mimura.

A fábrica de Oshiro e Mimura faz dez mil manequins por mês. São bustos e peças de corpo inteiro. A produção é simples e rápida. O plástico granulado é despejado em um equipamento conhecido como máquina de sopro ? que faz o manequim praticamente sozinha.

O plástico é derretido e desce lentamente pelo molde. Na sequência, o molde é fechado e injeta-se ar sob pressão. O processo demora cerca de dois minutos. Depois a peça é retirada e basta cortar as rebarbas.

Segundo os empresários, para comprar uma máquina como essas ? usada ? o investimento é de R$ 150 mil a R$ 200 mil. Além disso, é preciso fazer pelo menos três moldes, sendo que o custo de cada um deles é de R$ 30 mil. Portanto, o investimento total para montar a fábrica de manequins foi de R$ 300 mil.

?É um mercado muito promissor e tem uma procura muito grande. Inicialmente nós começamos investindo numa pequena máquina para produzir o busto feminino. Como a procura é muito grande ? inclusive a gente trabalha 24 horas por dia ?, a gente investiu em mais outras duas máquinas grandes e a gente já produz a manequim feminina de corpo inteiro. Só a gente que conseguiu fazer isso até hoje aqui no Brasil?, diz Oshiro.

Loja de manequim

A fábrica vende para todo o Brasil. Um loja do centro de São Paulo que há 15 anos vende manequins, tanto de plástico omo de fibra de vidro, é uma das clientes da fábrica.

São mais de 100 modelos de manequins para expor todo tipo de peça. Busto, pernas, manequins masculino, feminino, bege, branco, bronze, em variadíssimas posições, estilos e tamanhos. Tem até manequim giratório. E, mais importante: são de todos os preços. Este é o mais caro, um manequim de fibra perolado, custa R$ 550. E o mais barato é um busto, por R$ 9,90. Para caber no bolso de qualquer lojista.

A dona da loja, Tânia Gonçalves, diz que a venda de manequins cresceu 20% no último ano.

?O comércio está expandindo e nós temos que aproveitar as oportunidades, como a Copa de 2014. Com o Brasil recebendo muitos turistas acredito que com certeza abrirão muitas lojas, muitos comércios em todos os ramos. Então, a gente está abraçando essa oportunidade. Com certeza aquecerá muito mais o ano que vem?, aposta Tânia.

Para abrir uma loja como a de Tânia, o investimento é de R$ 100 mil, com reforma e estoque. Procura não falta: aqui são vendidos quatro mil manequins por mês.

Uma loja de roupas femininas é cliente da empresa de venda de manequins há dois anos e tem, ao todo, 11 manequins completos e 42 bustos. As manequins são consideradas as grandes vendedoras da loja. Estatisticamente, as bonecas respondem por oito de cada dez clientes que entram no estabelecimento.

A cliente Ingrid de Amorim Costa foi atraída pelas roupas na manequim. ?[Eu entrei] porque olhei as peças no manequim e achei umas peças bem diferentes, as cores, os modelos. Aí eu entrei para dar uma olhada na roupa. Para ver como realmente fica no corpo?, diz.

Para a dona da loja, Roseli Petrim, os manequins são investimento de ótimo retorno. A loja aumenta o potencial das peças mudando todos os dias as roupas e a posição dos manequins.

?Você pode estar expondo as roupas, você pode estar se vendo, a combinação. Também têm os acessórios, que é fundamental, tem as perucas. Você pode estar sempre renovando, trocando as posições dele. Então hoje, um manequim, ele representa muito?, diz a empresária.

Com vendedores como este, o mercado só tem a ganhar. Enquanto a loja de roupa atrai mais clientes, a fábrica de manequins investe na produção, para atender à demanda que só cresce.

?Os planos são o investimento em máquinas produtivas que conseguem produzir em menos tempo tudo o que a gente quer com o molde. Então, os planos são investir em máquinas, em moldes novos, modelos novos daqui pra frente?, diz Mimura.


Tópicos
Compartilhe
Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar