Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore

Desemprego continuará em alta, diz IBGE

A expectativa é que a taxa só comece a arrefecer a partir de maio

Compartilhe

A taxa de desemprego deve permanecer em alta nos pr?ximos meses, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estat?stica). O movimento de crescimento constatado nos dois primeiros meses ? sazonal e j? era esperado, explicou o coordenador da Pesquisa Mensal de Emprego, Cimar Azeredo. A expectativa ? que a taxa s? comece a arrefecer a partir de maio.

"N?o houve piora. Ocorreu uma evolu??o sazonal, que ? normal nessa ?poca do ano. O com?rcio fica mais esvaziado, o consumo diminui bastante. H? muitos impostos para pagar nessa ?poca. Pelo hist?rico, espera-se que haja queda a partir do segundo trimestre", afirmou.

Azeredo observou que a subida do n?vel de desemprego ocorreu, principalmente pelas dispensas no setor de com?rcio, ap?s as contrata?es que s?o feitas no final de ano. Ele ressaltou, no entanto, que o patamar atual est? abaixo do que vinha sendo verificado nos ?ltimos anos.

A taxa de desemprego nas seis principais regi?es metropolitanas do Brasil subiu para 8,7% em fevereiro, depois de ficar em 8%, no m?s anterior. Em rela??o a fevereiro do ano passado, por?m, o ?ndice recuou 1,2 ponto percentual.

No ano passado, o desemprego ficou em 9,3% e 9,9%, respectivamente, em janeiro e fevereiro. No ano anterior, esses ?ndices haviam chegado a 9,2% em janeiro e 10,1% em fevereiro. Em 2005, o desemprego de janeiro ficou em 10,2%, indo a 10,6% no m?s seguinte. A alta havia sido mais intensa em 2004, com altas de 11,7% e 12% em janeiro e fevereiro.

Cimar Azeredo destacou que o n?mero de trabalhadores com carteira assinada vem subindo de forma significativa e j? ? recorde. Na compara??o com fevereiro de 2007, houve acr?scimo de 8,4%, o que significa mais 722 mil empregados formais no mercado. Somados os trabalhadores do setor privado com militares e funcion?rios p?blicos, constata-se que 54,6% do mercado de trabalho ? formalizado. Esse ?ndice ? o maior da s?rie hist?rica da pesquisa.

O rendimento m?dio do trabalhador de R$ 1.189,90 ? o maior para um m?s de fevereiro, desde o in?cio da s?rie, em mar?o de 2002. A expectativa ? que esse rendimento suba ainda mais, com o aumento do sal?rio m?nimo.


Tópicos
Compartilhe
Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar