Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

Guerra comercial entre EUA e China vai aumentar preço dos tênis

Marcas como Adidas, Nike, Dr Martens, Converse e outras 170 do setor de calçados pediram a Trump que acabe com a guerra tarifária com a China.

 Guerra comercial entre EUA e China vai aumentar preço dos tênis
| Getty Images
Compartilhe
Google Whatsapp

A briga de dois gigantes da economia mundial [EUA e China] parece não ter fim e chegou a indústria de calçados. O preço de um tênis de corrida, por exemplo, deve aumentar de uma média de US$ 150 para US$ 206, de acordo com a Associação de Distribuidores e Varejistas de Calçados da América (FDRA, na sigla em inglês). Com informações da BBC Brasil. Informações da BBC.

Isso se o presidente americano, Donald Trump, continuar impondo novas tarifas sobre as importações chinesas, em uma eventual escalada da guerra comercial entre os dois países.

Em uma atitude excepcional, marcas como Adidas, Nike, Dr Martens, Converse e outras 170 do setor de calçados pediram a Trump que acabe com a guerra tarifária com a China, alertando para um efeito "catastrófico" sobre os consumidores.


Aumento do gasto familiar

Digamos que um americano precise comprar calçado para o filho mais novo, que ainda está em fase de crescimento - o preço vai subir de US$ 10 para US$ 15, estima a FDRA. E que a filha adolescente começou a treinar basquete e precisa de um tênis novo - o valor deve aumentar de US$ 130 para US$ 179.

Agora, imagina que alguém do casal peça um par de botas de aniversário - vai custar cerca de US$ 249, em vez de US$ 190. No total, essa família americana poderia desembolsar US$ 169 a mais apenas com sapatos.

As tarifas não estão sendo impostas apenas sobre calçados, mas sobre uma série de produtos - de eletrodomésticos até alimentos, como carne bovina, frutas, legumes e verduras congelados.

As empresas assinaram uma carta conjunta dizendo que a decisão do presidente de aumentar as tarifas de importação para 25% afetará desproporcionalmente a classe trabalhadora. Se anunciadas, as novas tarifas vão atingir as importações americanas de produtos chineses, no valor total de US$ 325 bilhões, incluindo bens de consumo, como calçados. Mas e na hora de comprar sapatos para a família toda?

O que está acontecendo?

Os EUA aprovaram em 10 de maio o aumento das tarifas de 10% para 25% sobre importações US$ 200 bilhões em produtos chineses.

A China respondeu estabelecendo tarifas de 25% sobre US$ 60 bilhões de mercadorias americanas - cerca de metade de todas suas importações dos EUA -, que devem entrar em vigor em 1º de junho de 2019.

O presidente Trump ameaça agora aplicar uma tarifa de 25% sobre os US$ 325 bilhões de importações chinesas restantes, que até agora foram poupadas.

Mas o CEO da AAFA, Rick Helfenbein, diz que "não é tão fácil": embora a participação desses países nas importações tenha aumentado, a produção de sapatos envolve conhecimento e tecnologia, que não podem ser transferidos rapidamente de um país para outro.

Segundo ele, 72% dos calçados, 84% dos acessórios e 41% de todo o vestuário vendidos nos EUA são provenientes da China. O país também é a principal responsável por abastecer o mercado no mundo.


Tópicos
Compartilhe
Google Whatsapp

veja também

Recomendamos

Localização

Definir a localização padrão

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Fique por dentro

Receba notícias quentinhas diretamente no seu whatsapp

Continuar

Falta pouco, agora escolha as categorias que deseja receber notícias

Aperte (ctrl + clique) para selecionar vários
Pronto!

Agora você passará a receber novidades diretamente no seu whatsapp.

Termos de uso

Texto

Política de privacidade

Texto

×