mais
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore

IBGE faz previsão e Brasil pode ter safra de 262,8 milhões de toneladas

O arroz, o milho e a soja representam 92,6% da estimativa da produção e respondem por 87,7% da área a ser colhida.

A produção de cereais, leguminosas e oleaginosas estimada para 2021 sofreu neste mês de maio uma queda de -0,6%, o que corresponde a 1,7 milhão de toneladas, em relação ao mês anterior. No entanto, a produção segue representando um recorde na série histórica, devendo totalizar 262,8 milhões de toneladas, 3,4% superior à obtida em 2020 (254,1 milhões de toneladas), aumento de 8,6 milhões de toneladas. 

O Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA) aponta que a área a ser colhida é de 68,0 milhões de hectares, com alta de 3,9% frente a 2020 (mais 2,5 milhões de hectares). Frente ao mês anterior, a estimativa da área a ser colhida cresceu 119,7 mil hectares (0,2%).

O arroz, o milho e a soja, os três principais produtos deste grupo, representam 92,6% da estimativa da produção e respondem por 87,7% da área a ser colhida. Em relação a 2020, houve acréscimos de 6,2% na área do milho (aumentos de 2,7% na primeira safra e de 7,5% na segunda) e de 4,1% na da soja. Porém, houve declínios de 16,0% na área do algodão herbáceo e de 0,1% na do arroz.

Para a soja, a estimativa é de mais um recorde: 132,9 milhões de toneladas, com alta de 9,4% ante 2020. Nessa mesma comparação, espera-se alta, também, de 2,8%, para o arroz em casca, que deve chegar a 11,4 milhões de toneladas. Por outro lado, foi estimado declínio de 19,7% para o algodão herbáceo (-19,7%), com produção de 5,7 milhões de toneladas, e de 3,9% para o milho (-3,9%), com produção de 99,2 milhões de toneladas, sendo 25,8 milhões de toneladas na primeira safra (-2,8%) e 73,3 milhões de toneladas na segunda (-4,3%).

Produção por região

As regiões Sul (10,8%), Sudeste (6,0%), Nordeste (5,3%) e Norte (1,4%) tiveram altas em suas estimativas. A primeira deve produzir 81,0 milhões de toneladas (30,8% do total nacional); a segunda, 27,3 milhões de toneladas (10,4% do total); a terceira, 23,8 milhões de toneladas (9,1% do total) e a quarta, 11,1 milhões de toneladas (4,2%). Por outro lado, o Centro-Oeste, que é o maior produtor (45,5% da produção do país), teve redução de 1,8% em sua estimativa, devendo totalizar uma colheita de 119,5 milhões de toneladas.

Entre as unidades da Federação, o Mato Grosso lidera a produção nacional de grãos, com uma participação de 26,9%, seguido pelo Paraná (14,6%), Rio Grande do Sul (13,9%), Goiás (9,8%), Mato Grosso do Sul (8,4%) e Minas Gerais (6,5%). As variações positivas nas estimativas da produção, em relação ao mês anterior, ocorreram no Rio Grande do Sul (1,3 milhão de toneladas), na Bahia (410,6 mil toneladas), no Ceará (50,2 mil toneladas), em Minas Gerais (8,8 mil toneladas), no Acre (2,2 mil toneladas), no Rio Grande do Norte (110 toneladas), no Espírito Santo (102 toneladas) e no Rio de Janeiro (47 toneladas).

Já as estimativas de queda ocorreram no Paraná (-2,0 milhões de toneladas), no Mato Grosso (-1,2 milhão de toneladas), em Goiás (-177,4 mil toneladas) no Maranhão (-125,1 mil toneladas), em Sergipe (-23,4 mil toneladas), em Pernambuco (-17,8 mil toneladas) e na Paraíba (-8,8 mil toneladas).

Agronegócio tem peso na balança comercial do PiauíAgronegócio tem peso na balança comercial do Piauí

Destaques na estimativa de maio de 2021 em relação à de abril

Em maio, destacaram-se as variações positivas nas seguintes estimativas de produção em relação a abril: trigo (7,2% ou 527,2 mil toneladas), castanha-de-caju (7,2% ou 8,3 mil toneladas), café arábica (6,0% ou 114,0 mil toneladas), aveia (4,0% ou 39,2 mil toneladas), feijão 3ª safra (2,7% ou 15,5 mil toneladas), arroz (2,4% ou 270,0 mil toneladas), cevada (1,9% ou 8,2 mil toneladas), café canephora (0,9% ou 7,9 mil toneladas), soja (0,7% ou 982,5 mil toneladas) e milho 1ª safra (0,3% ou 73,0 mil toneladas).

Por outro lado, são esperados declínios na produção do feijão 2ª safra (-7,2% ou 80,3 mil toneladas), do milho 2ª safra (-4,4% ou 3,4 milhões de toneladas), do algodão (-3,4% ou 202,4 mil toneladas), do cacau (-1,5% ou 4,0 mil toneladas) e do feijão 1ª safra (-0,3% ou 4,0 mil toneladas).

Tópicos

comentários

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Desbloquear Notificações

Como desbloquear notificações

Na barra de endereço, clique no cadeado e em Notificações escolha a opção permitir, como na imagem abaixo

desbloqueio de notificação push

Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail