Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

Mansueto de Almeida comunica saída da Secretaria do Tesouro Nacional

O ministro da Economia, Paulo Guedes, já foi comunicado sobre a saída e está procurando nomes para substituí-lo no cargo

Compartilhe

O secretário do Tesouro Nacional, Mansueto de Almeida, pediu demissão ao ministro da Economia, Paulo Guedes. Mansueto deve ficar mais dois meses no cargo, mas já fez o comunicado a Guedes para que um substituto seja encontrado a tempo.

Mansueto de Almeida avisou ao ministro da Economia, Paulo Guedes, que deixará o governo nas próximas semanas Cristiano Mariz/VEJA 

Entre os nomes cotados para o lugar de Mansueto estão Bruno Funchal, diretor de Programas do Ministério da Economia, e a subsecretária de Relações Financeiras Intergovernamentais do Tesouro, Priscilla Maria Santana.

O destino do economista deve ser a iniciativa privada. Mansueto passou por muitos cargos no antigo Ministério da Fazenda, o atual Ministério da Economia, desde 1995. Ele assumiu a Secretaria do Tesouro Nacional em abril de 2018, durante o governo de Michel Temer, e permaneceu no posto após o início do mandato de Jair Bolsonaro.

A saída de Mansueto já era especulada desde o final do ano passado. Em dezembro, assessores de Guedes admitam que o secretário tinha o interesse de deixar o governo para trabalhar na iniciativa privada. Ele deverá cumprir uma quarentena até fevereiro de 2021 antes de assumir qualquer posição fora.

Mansueto era visto como uma unanimidade entre economistas que defendem a política liberal do Ministério da Economia. Seu nome ficou ligado ao programa de recuperação dos estados que Guedes batizou de “Plano Mansueto”. Com o início da pandemia de Covid-19, o Congresso remodelou o programa, determinando uma transferência direta de 60 bilhões de reais aos estados. Bolsonaro sancionou o projeto no final de maio, mas a verba ainda não foi liberada.



Tópicos
Compartilhe

veja também

Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar