Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

Mercado imobiliário volta a aquecer em Teresina

No primeiro semestre de 2019, o mercado imobiliário iniciou um processo de recuperação da queda de vendas e aluguéis registrada no ano passado, não só na capital piauiense, mas a nível nacional.

Compartilhe
Google Whatsapp

A retomada da expansão imobiliária tem criado uma nova paisagem no horizonte teresinense. Isso acontece em virtude dos empreendimentos verticais, que têm despertado o interesse de novos moradores. No primeiro semestre de 2019, o mercado imobiliário voltou a aquecer em Teresina, iniciando um processo de recuperação da queda de vendas e aluguéis registrada no ano passado, não só na capital, mas a nível nacional.

Foto: Gabriel Paulino

Segundo dados oficiais da Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip), a recuperação já atinge cerca de 30% da normalidade de mercado, o que impacta diretamente o setor da construção civil na economia local, possibilitando que mais pessoas realizem o sonho da casa própria.

Existe uma tendência para que o mercado se recupere de forma gradual, é o que aponta o corretor de imóveis José Patrício Rocha. “As reformas preparadas pelo governo federal, as iniciativas de liberação de crédito, os projetos que o governo proporciona à sociedade, tudo isso é levado em consideração na hora de se investir, de buscar um imóvel".

Informações do Sindicato das Indústrias de Construção Civil de Teresina (Sinduscon) mostram que, nos últimos 10 anos, nunca houve um volume tão grande de dinheiro sendo emprestado para habitação e com taxas adequadas.  A composição deste cenário é fruto de um novo pacote de crédito do governo, que em relação há anos anteriores, vem incentivando para que os investidores apostem neste novo cenário da economia brasileira.

Na capital, as faixas de preço para a compra da casa ou apartamento variam a partir de R$ 120 mil, e está disponível a possibilidade de atrelar os financiamentos à inflação. A Caixa disponibiliza linhas de crédito subsidiando financiamentos com as menores taxas de juros do mercado e pagamento flexíveis, reduzindo as parcelas iniciais, o que leva a uma procura por novos projetos imobiliários que estão sendo desenvolvidos e levados para a região. De acordo com o especialista, alguns fatores têm contribuído para o reaquecimento do mercado imobiliário.

"A facilidade no financiamento da casa própria tem contribuído para o reaquecimento do mercado imobiliário, superando um período de instabilidade política e financeira enfrentado pelo Brasil nos últimos anos. São baixas significativas do plano de governo no que diz respeito às prestações para adquirir a casa própria, e isso faz com que o dinheiro volte a girar no mercado”, completa.
O processo de compra de um imóvel próprio envolve diversas questões: tempo, valores e muita paciência. Para facilitar a tomada de decisão, o corretor listou algumas dicas de quais critérios as pessoas devem levar em consideração antes de comprar a casa própria. "Planejar-se - definir seus desejos e metas e procurar alinhá-los com a sua disponibilidade financeira. Analisar o crédito imobiliário, fazer uma pesquisa de mercado, visitar o imóvel quantas vezes for preciso, verificar as condições do imóvel  e sua segurança", pontuou.

 Localização agrega interesse de compra 

Outro fator que agrega interesse para quem adquire um imóvel parte do preço e de sua localização por estarem situados em um dos principais eixos de serviços e opções de lazer do município, que concentra shopping centers, hospitais, supermercados e universidades. O casal Ariane e Wenner Nascimento adquiriu um apartamento ainda na planta, segundo eles a proximidade da casa dos pais e por ficar situado ao lado de um grande hipermercado foram determinantes para compra do imóvel.

"Quando fomos adquirir o apartamento, com certeza levamos em consideração o preço,     porque era o que a gente poderia pagar, devido ao valor da entrada e as parcelas que foram combinadas na imobiliária. O valor foi muito bom, mas o que mais fez com que a gente adquirisse o apartamento foi a localização, porque queremos morar no Bela Vista, bairro onde nascemos e crescemos", define Ariane Nascimento.

Foto: Gabriel Paulino

Compra de imóvel como investimento

Mas, além de atraírem os olhares de quem vê por fora, esses empreendimentos também são pensados para oferecer conforto, segurança e praticidade para seus moradores. A jornalista Karine Santana recebeu seu apartamento há duas semanas, motivada por esses conceitos.

"Morava de aluguel em Teresina, porque vim de outra cidade para estudar e vi que comprar um apartamento é um investimento. Pesquisei a localização e o que gastaria com combustível, além disso queria um condomínio fechado, pela segurança, e em relação ao ambiente preferi que um espaço de dois quartos era o ideal".

Karine ressalta que não basta só pensar na localização do empreendimento. Para ela, é preciso pensar em um ambiente que se ajuste ao seu jeito de viver. "O conselho que dou é que é preciso pesquisar muito e ter um corretor que te auxilie e entenda suas necessidades. Paguei um preço justo pelo meu apê, sendo que você tem segurança 24 horas, zeladores que cuidam do local, e com isso posso viajar tranquila", disse.


Siga nosso canal no telegram
Tópicos
Compartilhe
Google Whatsapp

veja também

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se