Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

Seguro-fiança e título de capitalização viram novas garantias para locação

Vantagens atraem proprietários e inquilinos, barateando o custo da contratação de um imóvel

Compartilhe

Fiador é coisa do passado. Garantias como seguro-fiança e título de capitalização começam a atrair proprietários e inquilinos e já representam um número expressivo no mercado de locação. De acordo com o Secovi Rio (Sindicato da Habitação), o seguro-fiança, que em janeiro de 2012 representava a garantia de 24,9% dos contratos de locação, terminou o ano com 26,1%. A tendência, segundo especialistas, é que esse produto continue cada vez mais em ascensão, o que, a médio prazo, deverá baratear o custo de contratação. Um levantamento feito junto às maiores administradoras do Rio revela: nos últimos seis meses, o seguro esteve presente em 45% dos novos contratos.

Contra a inadimplência

Para se ter ideia, na Apsa, o seguro-fiança já representa 50% das novas locações. Segundo o gerente geral de Imóveis da administradora, Jean Carvalho, a garantia com fiador está em segundo lugar e o título de capitalização aparece em terceira posição. ?As garantias alternativas estão ganhando espaço e garantem que, em caso de inadimplência, o pagamento seja honrado e o inquilino devedor sairá do imóvel em até três meses?, explica Carvalho.

Ele lembra ainda que conseguir um fiador no mercado é algo constrangedor, pois é necessário, na maioria das vezes, pedir para um amigo ou parente. ?Além disso, se o locatário não pagar, o fiador é o real pagador da dívida, o que pode acarretar na perda de uma amizade e uma dor de cabeça de arcar com a despesa imprevista?, afirma Carvalho.

Novas formas de assegurar a locação podem ser parceladas

O seguro-fiança representa, em média, dois aluguéis mais taxas e pode ser pago em até quatro vezes sem juros ou em mais parcelas com juros. O valor é pago anualmente. Se o aluguel com taxas for de R$ 1.500, a garantia será de R$ 3 mil e este dinheiro não volta ao inquilino no fim do contrato.

Já o título de capitalização também é a soma do aluguel e taxas, só que multiplicado em até 12 vezes. Se a despesa for de R$ 1.500, o título será no valor de R$ 18 mil. Neste caso, o montante voltará para o inquilino corrigido monetariamente.

A Renascença Administradora criou o modelo Garantia de Aluguel, em que uma taxa é cobrada do inquilino que, conforme o perfil do cliente e do imóvel a ser alugado, pode variar de quatro a cinco vezes do valor do aluguel. A despesa pode ser parcelada em até 10 vezes. ?O valor vale para todo o período e o inquilino só pagará novamente depois que renovar o contrato?, explica Alexandre Parente, vice-presidente Administrativo.

Para o inquilino Ernesto Presa, o fiador é coisa ultrapassada. ?Esse modelo de garantia está deixando de ser usado porque os locadores estão buscando alternativas mais práticas e seguras?, diz Presa.

Aluguel sem comprovação de renda cresce 30%

O título de capitalização vem ganhando espaço no mercado. O Novo Garantia de Aluguel, da SulAmérica Capitalização (SulaCap), registrou crescimento de 30% no País, em 2012. Pelo modelo não é necessário fiador, nem a comprovação de renda. Na modalidade, o inquilino adquire um título de capitalização e o valor é acertadocom a imobiliária ou direto com o proprietário. O montante fica guardado até o final do contrato. Quando a locação terminar, o inquilino recebe de volta 100% do valor corrigido monetariamente.

Além disso, o inquilino ainda terá direito a sorteios mensais pela Loteria Federal, em que poderá ganhar a quantia guardada, e assistência residencial gratuita, com serviços emergenciais de chaveiro, bombeiro hidráulico, eletricista e vidraceiro. Também há orientação por telefone para solução de problemas com computador.

Diretor Comercial e de Marketing da SulaCap, Cesar Tadeu Dominguez diz que a mudança de comportamento ocorre porque há cada vez menos gente disposta a ser fiador. ?É ele quem vai pagar a conta e é, muitas vezes, pego de surpresa. Há inclusive empresas as quais seus sócios diretores assumem, via contrato, que não podem se comprometer em ser fiadores?, afirma.


Tópicos
Compartilhe
Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar