Estratégias para reabilitação do Centro de Teresina são debatidas

Projeto visa estabelecer pontos estratégicos do Centro da capital.

Visando debater aspectos de melhorias e aproveitamento do Centro de Teresina, o prefeito Firmino Filho, esteve reunido, na sexta-feira (03), com técnicos da Prefeitura de Teresina, para tratar do Plano de Reabilitação do Centro.

O projeto visa estabelecer pontos estratégicos para viabilizar o resgate da área central da cidade e é baseado em diretrizes trazidas pela obra “Cidades Caminháveis”, incluindo adaptações para a realidade local. Durante a reunião, foram apresentados tópicos acerca das intervenções no Centro, com apresentação de maquete elaborada por estudantes do Curso de Arquitetura e Urbanismo da UFPI.

Entre as intervenções propostas estão a expansão do uso das vias de forma compartilhada entre veículos e pedestres nas ruas Simplício Mendes, Areolino de Abreu e Álvaro Mendes, a formação de corredores exclusivos de ônibus nas ruas Rui Barbosa e Areolino de Abreu, bem como a ampliação da rede cicloviária de Teresina na região central.

Segundo Constance Jacob, coordenadora da área central de Teresina, da Superintendência de Desenvolvimento Urbano Centro/Norte, a proposta, que está sendo discutida entre diversos órgãos da Prefeitura de Teresina, prevê a habitação do Centro, a adequação dos estacionamentos, a proteção do pedestre, com o uso compartilhado de vias, como já acontece no Calçadão da Simplício Mendes, implantação de ciclovias, a arborização da região, bem como a criação de ruas mais agradáveis aos pedestres.

“Estamos fazendo um raio-X do Centro de Teresina. Hoje, o Centro tem predominantemente uso institucional e de comércio. A ideia é promover um adensamento para o uso misto para habitação, comércio e lazer. A proposta de intervenção visa reabilitar ruas de forma a outorgar o protagonismo do pedestre, além de favorecer o transporte público, potencializar a função do comércio, social e cultural da região, além de analisar e revisar a legislação urbanística para usar o Centro para a habitação”, explica Constance Jacob.

O prefeito Firmino Filho destacou as modificações das demandas para o Centro ao logo dos anos, bem como frisou a necessidade do debate e planejamento acerca da utilização dessa área, na tentativa de buscar soluções estratégicas para a reabilitação.

“No passado, o grande desafio era o comércio informal. Na época, foi debatida e gerada uma agenda para o Centro, com a construção do shopping da cidade, rua climatizada e melhorias nas calçadas. O desafio de hoje é diferente, inclui algumas tendências. Uma delas é a mobilidade urbana, pois, em consequência do desenvolvimento econômico da cidade, a nossa frota de veículos praticamente triplicou, e isso tem consequências sobre o Centro, inclusive com relação ao transporte coletivo e ao espaço para estacionamento. E é nisso que devemos pensar e alinhar o nosso entendimento para fazer essas melhorias no Centro da Cidade”, avalia o prefeito.

Além da SDU Centro/Norte, também participaram do debate representantes da Secretaria Municipal de Planejamento e Coordenação, Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Superintendência de Transportes e Trânsito, Secretaria Municipal de Concessão e Parcerias e Coordenação de Arborização.

 

Fonte: Assessoria