mais

Família fará passeata após morte de bebê por possível erro médico em Barras

O bebê foi sepultado no cemitério municipal na última terça-feira (11) sob forte comoção da família, que pede justiça.

A família do bebê Francisco Nícolas, de apenas 11 meses, que faleceu na última segunda-feira (10) ao contrair uma infecção devido a um possível erro médico no Hospital Regional Leônidas Melo, no município de Barras, fará uma passeata neste sábado (15) na cidade, por pedido de justiça após a morte da criança. 

Em entrevista ao Meionorte.com, Rafaela Alves, tia de Francisco Nícolas, explicou que a concentração do movimento ocorrerá a partir das 16 horas no bairro Santinho e seguirá até o hospital. O bebê foi sepultado no cemitério municipal na última terça-feira (11) sob forte comoção da família e dos moradores.

“Vai ser por pedido de justiça, para que a equipe que fez isso com meu sobrinho não exerça mais nenhum tipo de profissão na saúde. Para que eles não venham fazer com outras famílias como foi feita com a nossa. Há uma revolta na cidade, muita gente revoltada com o que aconteceu. Foi um erro grotesco e a gente continha muito abalado ainda. Muita gente está aderindo, muita gente procurando, se informando, que não pode ficar assim e tem que ser feito justiça”, disse. 

Família fará passeata após morte de bebê por possível erro médico em Barras (Foto: Montagem/ Meio Norte)Família fará passeata após morte de bebê por possível erro médico em Barras (Foto: Montagem/ Meio Norte)

A reportagem procurou o Conselho Regional de Enfermagem do Piauí (COREN-PI), que informou que já tomou as primeiras medidas imediatas a respeito do caso. Na manhã de hoje, as conselheiras Geórgia Menor e Diana Oliveira visitaram o Hospital de Urgência de Teresina (HUT), para onde a criança foi transferida e solicitaram os prontuários de atendimento, que serão enviados pela direção do hospital. Já na próxima segunda (17), outras conselheiras irão até Barras para continuar os levantamentos. 

“O Coren-PI já iniciou a averiguação. Na manhã de hoje, as conselheiras Geórgia Menor e Diana Oliveira visitaram o HUT, e solicitaram os prontuários de atendimento, que serão enviados pela direção do hospital. Continuando o processo de apuração, próxima segunda, as conselheiras Deusa Helena Albuquerque e Geórgia Menor irão até Barras. Todo o trâmite legal próprio desse tipo de ocorrência será seguido, de acordo com a resolução Cofen N° 370/2010.”, disse o órgão fiscalizados em nota enviada ao Meionorte.com. 

O caso

A reportagem conversou com uma fonte próxima à mãe e que acompanhou o caso, que explicou como tudo aconteceu. Segundo ela, Francisco Nícolas deu entrada no hospital na quarta (05) e ficou internado até o sábado (08), quando recebeu alta. No domingo, ele retornou com a mãe com o estado agravado e com um dos braços bastante roxo e inchado.

Segundo ela, a criança foi atendida, mas logo ficou inconsciente e foi entubada. Com o agravamento de seu quadro clínico, ela chegou a ser transferida para um Hospital de alta complexidade em Teresina, mas acabou falecendo. Conforme seu relato, o bebê teve o choque séptico devido uma veia ter sido rompida após o acesso venoso mal realizado. 

Família fará passeata após morte de bebê por possível erro médico em Barras (Foto: Reprodução/ WhatsApp)Família fará passeata após morte de bebê por possível erro médico em Barras (Foto: Reprodução/ WhatsApp)

“Essa criança deu entrada no hospital de Barras com diarreia, vômito e distensão abdominal na quarta-feira. A criança permaneceu internada até a sexta e no sábado pela manhã ela teve alta. A mãe retornou no domingo já com a criança muito mal. A criança teve uma parada, foi intubada, enviada para Teresina, mas infelizmente a criança veio à óbito após duas paradas cardíacas e morreu em Teresina. A criança foi internada na quarta e foi feito um acesso venoso nela. Na sexta pela manhã, conforme relato da mãe, ela teve o acesso obstruído. A profissional em questão, em vez de trocar o acesso, simplesmente colocou mais água destilada com outra substância que a gente não sabe qual e forçou o acesso venoso. No ato de forçar o acesso venoso e a veia da criança pode ter sofrido um processo de quebra. Essa veia já estava inflamada. E quando ela fez isso ela rompeu a veia começou o processo infeccioso interno na mão da criança. Infelizmente ela já deve ter inciado o choque séptico aqui e a tarde ela já ficou inconsciente e entrou em coma”, explicou. 

Em nota, o Hospital Regional Leônidas Melo informou que uma sindicância interna foi aberta na terça (11) pela direção. Além da sindicância que investiga o óbito, um processo administrativo será aberto.

NOTA DE ESCLARECIMENTO

O Hospital Regional Leônidas Melo informa que uma sindicância interna foi aberta nesta terça (11) pela direção acerca da causa de falecimento da criança Francisco Nícolas de 11 meses durante esta segunda-feira (10).

Informa-se ainda que a vítima deu entrada no serviço médico do Hospital na quarta (05) de janeiro, no sábado (08) o paciente recebeu alta, no entanto, retornou ao Hospital Leônidas Melo no domingo (09) com o agravamento foi encaminhado pela regulação para um Hospital de alta complexidade em Teresina.

Além da sindicância que investiga o óbito, um processo administrativo será aberto. O Hospital Leônidas Melo também se coloca à disposição e se compromete em contribuir sem medir esforços nesta causa.

Lamentamos profundamente a dor da família com a perca prematura de Francisco Nícolas.

 

 

 

 

Tópicos

comentários

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Desbloquear Notificações

Como desbloquear notificações

Na barra de endereço, clique no cadeado e em Notificações escolha a opção permitir, como na imagem abaixo

desbloqueio de notificação push

Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail