Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

Fotógrafa troca animais por pessoas em ação sobre consumo de carne

O ensaio foi ironicamente batizado de “Meat lovers”

Compartilhe
Google Whatsapp

As imagens são chocantes, quase assustadoras, mas a verdade é que retratam quase que literalmente aquilo que nós, enquanto seres humanos, fazemos diariamente com milhares de animais. A ideia da fotógrafa Anja Grundboeck, portanto, é realmente apontar, da maneira mais brutal e inclemente possível, o que de fato é e como se dá o incessante consumo de carne que cometemos diariamente.

Para tal, ela resolveu registrar uma ideia simples: fotografar os métodos de abate e cozimento de animais para a alimentação humana, mas mudando um pequeno detalhe: no lugar de bois, cordeiros ou galinhas, ela colocou seres humanos sendo abatidos e cozidos nas fotos.

Sem sequer entrar no terrível aspecto das consequências ambientais a partir da produção e alimentação de gado para a alimentação humana (responsável por grande parte do enorme consumo e desperdício de água e por boa parte dos desmatamentos no Brasil, por exemplo), as fotos de Anja apontam o contundente paradoxo, para dizer o mínimo, a respeito da maneira com que consumimos tais animais.

O ensaio foi ironicamente batizado de “Meat lovers”, ou Amantes da carne, e seu propósito é de fato levantar um debate críticos sobre os profundos efeitos da produção e consumo de carne. O trabalho pode ser visto ao som da canção Meat is Murder, dos Smiths, ou Carne é assassinato – lendo a letra, se tiver coragem, e a melhor definição estará lá.

Para além de tornar-se ou não um vegetariano, o fato é que a produção em massa, e os métodos de aprisionamento, alimentação e abate devem sim, no mínimo ser questionados e transformados em algo mais digno e menos doloroso. É a decisão que separa a civilização da barbárie, afinal, não é sequer preciso imaginar como se sentiria se fosse uma pessoa ali – basta olhar.


Image title

Image title

Image title

Image title

Image title

Image title

Image title

Image title

Image title

Image title


Tópicos
Compartilhe
Google Whatsapp
Carregar os comentários (0)

comentários

fechar comentários
Nenhum comentário feito até o momento

veja também

Recomendamos

Localização

Definir a localização padrão

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Fique por dentro

Receba notícias quentinhas diretamente no seu whatsapp

Continuar

Falta pouco, agora escolha as categorias que deseja receber notícias

Aperte (ctrl + clique) para selecionar vários
Pronto!

Agora você passará a receber novidades diretamente no seu whatsapp.

Termos de uso

Texto

Política de privacidade

Texto