Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

PI: Gestores devem ficar atentos ao programa de tratamento do tabagismo

O tratamento irá acontecer agora por meio do Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade (PMAQ)

PI: Gestores devem ficar atentos ao programa de tratamento do tabagismo
CIGARRO | Em 2011 houve uma diminuição de 15% de fumantes no Piauí | Reprodução
Compartilhe

Com objetivo de aumentar a abrangência do acesso às pessoas tabagistas contra o fumo o tratamento irá acontecer agora por meio do Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade (PMAQ). Para tanto, os gestores precisam aderir ao programa e ficarem atentos às datas de inscrições.

Atualmente o Piauí tem 10 municípios que prestam este serviço, cabendo uma necessidade de uma maior adesão visto que o Estado possui 224 municípios.

De acordo com Célia Oliveira, supervisora estadual do Programa de Controle ao Tabagismo, o tratamento é feito junto aos programas de atenção básica dos municípios, onde há disponibilidade de entrega de medicamento gratuito além de outras formas de tratamento.

O gestor municipal que tiver interesse em aderir ao serviço em suas Unidades Básicas de Saúde (UBS) deverá preencher no formulário do PMAQ a adesão ao Programa Nacional de Controle da Tuberculose (PNCT), além de indicar as UBS que vão prestar o serviço de tratamento do tabagismo e apresentar a quantidade de pessoas que serão atendidas.

Célia lembra que o problema vem sofrendo oscilações no que se refere a pessoas usuárias. Em 2011, segundo ela, por conta das campanhas e tratamento, houve uma diminuição de 15% dos usuários no Piauí, mas em 2012 houve um acréscimo dos mesmos 15%. Hoje, apenas em Teresina são 17% de fumantes homens e 10% de fumantes mulheres.

Para ela, é importante que o máximo de gestores municipais possam aderir ao programa.

O tabagismo é um problema de saúde pública e está vinculado aos principais fatores de risco para o desenvolvimento de infarto do miocárdio, acidente vascular cerebral (AVC) e o câncer, assim como a alimentação não saudável, a inatividade física e o uso abusivo de álcool. Atualmente esse é o novo perfil epidemiológico da maior causa de morte a nível mundial, segundo o Ministério da Saúde.

Ana Célia lembra que hoje, quase todos os territórios do Desenvolvimento no Estado já passaram por capacitação das equipes no que diz respeito ao tratamento, mas é preciso que haja adesão dos municípios. Ela acredita, que a nova portaria irá incentivar uma maior participação do Estado.


Tópicos
Compartilhe
Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar