Gilberto Albuquerque descarta paralisação nos atendimentos do HUT

Atualmente, o HUT atende os casos mais graves e complexos do Piauí

“Esse risco nós não temos, atá porque não existe outro hospital no Piauí que atenda a nossa demanda”, disse o diretor geral do Hospital de Urgência de Teresina (HUT), Dr. Gilberto Albuquerque, sobre uma possível paralisação do hospital após os servidores do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência de Teresina (Samu), paralisarem as suas atividades. O Samu de Teresina conta com 300 funcionários e por dia atende em média 200 chamados. O serviço possui 10 ambulâncias, mas apenas três vão atender a população da cidade.

Entre as reivindicações da categoria, estão o pagamento da insalubridade, adicional noturno, gratificação por produtividade e outros benefícios que foram perdidos. Em entrevista ao programa Banca de Sapateiro, através da rádio Jornal Meio Norte (90.3 FM), o médico destacou que o HUT é especialista nos atendimentos de alta complexidade, recebendo uma nova habilitação no atendimento em neurocirurgia, além  de ser uma  referência para as demais unidades de saúde do Estado.

O diretor geral do HUT, Dr. Gilberto Albuquerque concede entrevista à Rádio Jornal MN (Crédito: Mikaelly Menezes)
O diretor geral do HUT, Dr. Gilberto Albuquerque concede entrevista à Rádio Jornal MN (Crédito: Mikaelly Menezes)

“O objetivo de todo hospital que se preza é ser reconhecido em alta habilidade no que ele faz, antigamente nós tinhamos um atendimento geral e agora nos especializamos no atendimento a vitimas de traumas. É natural que de daqui a alguns anos, nós sermos especializados somente nessa área”, disse o médico ao apresentador Arimatea Carvalho.

O HUT está apto a resolver a qualquer problema de traumas e isso é certificado pelo Ministério da Saúde. De acordo com o médico, esse reconhecimento avalia é importante para reconhecer que o hospital atende a todas as regras e assim permanecer nessa quesito.

Para o atendimento de trauma, o Piauí possui uma equipe treinada e preparada para realizar cirurgias de alta complexidade. “O Piauí possui um número maior de neurocirurgiões treinados com a técnica endovascular - cirurgia menos invasiva dentro de um vaso sanguíneo - do que a própria França. Isso é um motivo de muito orgulho para todos nós. Temos profissionais de referencia”, acrescentou.

Durante a sua gestão, o hospital tem buscado aprimorar e melhora seu atendimento. Foram traçadas algumas metas com o Ministério da Saúde e o Hospital Osvaldo Cruz que foi modelo na adoção de algumas medidas que foram colocadas em pratica e que tem dado resultados positivos.

“Atualmente, o HUT atende os casos mais graves, mais complexos, que outros hospitais não são preparados para atender. Hoje nós somos referência para todos os acidentados de outros hospitais do Piauí. Não temos mais fila de espera e somos especialistas em alta complexidade”, finaliza.

O diretor geral do HUT, Dr. Gilberto Albuquerque concede entrevista à Rádio Jornal MN (Crédito: Mikaelly Menezes)
O diretor geral do HUT, Dr. Gilberto Albuquerque concede entrevista à Rádio Jornal MN (Crédito: Mikaelly Menezes)
O diretor geral do HUT, Dr. Gilberto Albuquerque concede entrevista à Rádio Jornal MN (Crédito: Mikaelly Menezes)
O diretor geral do HUT, Dr. Gilberto Albuquerque concede entrevista à Rádio Jornal MN (Crédito: Mikaelly Menezes)
Fonte: Waldelúcio Barbosa