Governo do Piauí libera R$ 1,2 milhão para Censo Pesqueiro

200 mil pessoas trabalham direta ou indiretamente no setor.

O governador Wellington Dias liberou recursos na ordem de 1,2 milhão de reais para realização do Censo Pesqueiro Marinho e Estuarino no litoral do Piauí. O objetivo da pesquisa é coletar informações para viabilizar investimentos em políticas públicas no setor.

Segundo o coordenador do Centro de Referência em Recursos Pesqueiros e Aquicultura (Ceraqua), Guilherme Gondolo, mais de 20 mil pessoas trabalham direta ou indiretamente no setor marinho e o governo não tem dados precisos sobre as diversas atividades que o setor proporciona. “Sabemos, por exemplo, que as mulheres não vão para o mar, mas são marisqueiras ou auxiliam no beneficiamento do que é pescado pelos companheiros. Com esse levantamento, teremos mais subsídios em relação a este e outros números. Com o reordenamento público privado mais efetivo, teremos uma melhor distribuição de renda”, afirma Guilherme Gondolo.

A Secretaria de Estado do Desenvolvimento Rural (SDR), por meio da Coordenação de Aquicultura e Pesca, designará equipes que serão responsáveis pelos treinamentos que serão organizados nas comunidades pesqueiras, incluindo familiares de pescadores que estejam desempregados ou pescadores aposentados, para realizar o Censo Pesqueiro, atividade que vai gerar renda para as famílias.

Segundo o coordenador, informações socioeconômicas também serão levantadas, entre as quais, se o trabalhador é efetivo ou não e se  tem acréscimo de renda. “Sabemos que já existem subsídios para estas pessoas, mas temos que confirmar se estão funcionando, o quanto pode melhorar e de que forma. Vamos mostrar resultados para o secretário Francisco Limma e para o  governador Wellington Dias, já que nosso objetivo é que o projeto piloto seja a base para a construção de um programa estadual permanente voltado para a pesca”,  conclui Guilherme.

O acompanhamento do recenseador será feito em campo, diariamente, em locais de desembarque e sem prazo pré-fixado. A concepção da SDR é de que, após alguns meses de execução, sejam gerados modelos de produção.

O projeto será executado pelo Ceraqua e conta  com o apoio de parceiros como UFPI, Uespi, Instituto das Tartarugas do Delta (ITD) e Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). A secretaria procura viabilizar novas parcerias, no que diz respeito a financiamento e à logística, como da Fapepi e prefeituras de cidades litorâneas.

O Ceraqua

O Centro de Referência em Recursos Pesqueiros e Aquicultura, localizado na Praia da Pedra do Sal, em Parnaíba, é um centro de pesquisa e extensão rural gerido por um acordo de cooperação entre a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Rural, Embrapa, Codevasf e Mapa. O projeto deve começar a operar no meio deste ano, após as conclusões das reformas estruturais que estão sendo realizadas pela Codevasf.

Fonte: Assessoria