Greve geral paralisa categorias nesta sexta em Teresina

Trinta e oito categorias aderiram à greve

Atualizado às 13h

Os professores, técnicos, terceirizados e estudantes da Universidade Federal do Piauí (Ufpi), fecharam a entrada principal do campus Ministro Petrônio Portella em razão da Greve Geral desta sexta-feira (28). No entorno da instituição, muitos congestionamentos.

O presidente da Associação dos docentes da Universidade Federal do Piauí (Adufpi), Jurandir Lima, declarou que "a classe trabalhadora, sobretudo os organizados, entendem que essas reformas atacam direitos historicamente construídos e conquistados". "Hoje estamos mostrando a resposta da sociedade ufpiana, pois queremos barrar essas reformas a partir de discussões".

 (Crédito: Gabriel Paulino)
Profissionais da Ufpi fecham entrada da instituição (Crédito: Gabriel Paulino)

Atualizado às 11h

A Polícia Rodoviária Federal (PRF),  registrou uma interdição total, na BR 316, km 12,4,  com 8 km de interdição, sem previsão de liberação, em virtude de manifestação de populares, com cerca de 70 manifestantes, que reivindicam principalmente o cancelamento das reformas trabalhista e previdenciária que estão em votação no Congresso Nacional.

Até o momento a manifestação tem cunho pacífico. A equipe da PR, sugere desvio pelo anel viário de Teresina, acessando a BR-343. Outra opção de desvio é seguir pelos municípios de Nazária e Demerval Lobão.

Em Teresina, manifestantes bloquearam por volta das 9h desta sexta-feira (28), a entrada da ponte Juscelino Kubitschek, na saída para a Avenida Frei Serafim, no sentido zona Leste/Centro da capital. O bloqueio durou pouco mais de cinco minutos, pois logo a Polícia Militar do Piauí foi acionada e liberou a pista. Os pneus permaneceram fazendo muita fumaça, atrapalhando o trânsito e causando mal estar nos transeuntes, mas os veículos voltaram a fluir normalmente. De acordo com a polícia, eram pessoas sem uniformes que se retiraram do local assim que avistaram as viaturas.

 (Crédito: Gabriel Paulino)
(Crédito: Gabriel Paulino)
 (Crédito: Gabriel Paulino)
(Crédito: Gabriel Paulino)
 (Crédito: Meio Norte)
(Crédito: Meio Norte)

Atualizado às 09h

O vice-presidente do Sintetro, Francisco das Chagas, afirmou que a ordem é parar e por isso, os motoristas de ônibus que estão circulando em Teresina estão sendo orientados a colocar os carros nas garagens.

“A ordem hoje é greve contra as reformas que vai acabar com tudo que nós construimos ao longo dos tempos, nós estamos fazendo a nossa parte, nós somos trabalhadores e estamos sendo afetados por isso. A ordem é pedir para os motoristas e cobradores levar os carros para garagem, hoje é greve geral. 30% de ônibus vão ficar nas ruas circulando, isso corresponde a 140 ônibus. Vamos ficar o dia todo parando todos os ônibus que estão chegando no Centro e mandando voltar”, afirmou.

Marcelino Fonteles, coordenador da Frente Piauí Popular, afirmou que a greve é nacional. “O ato é contra a reforma da previdência, trabalhista e a terceirização que contrariam os interesses dos trabalhadores, estão tirando sos setores trabalhistas e favorecendo o grande empresariado, então é um greve nacional para manifestar que está atingindo o direito dos trabalhadores e trabalhadoras”, disse.


Pelo menos 38 categorias profissionais fizeram assembleias e deliberaram greve geral nesta sexta-feira (28),  contra as reformas da Previdência e Trabalhista propostas pelo governo do presidente Michel Temer, em Teresina. Os municípios de Picos e Parnaíba também aderiram a greve. Os ouvintes do programa Notícias da Boa, da Rádio Jornal Meio Norte (90.3 FM), apresentado pela jornalista Chintia Lages, mandaram fotografias para o whatsapp do programa de alguns pontos da cidade nas primeiras horas do ato.

Na capital, o Sindicato dos Trabalhadores do Transporte Rodoviário do Piauí (Sintetro) destacou que os ônibus urbanos estão com problema de circular devido ao bloqueio das principais ruas do centro da cidade. As manifestações acontecem em diversos pontos da cidade, tendo o Centro como ponto principal do ato.

Os manifestantes se concentraram na praça Rio Branco e sairam em caminhada passando pela Prefeitura de Teresina, Palácio do Karnak e a sede do Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS). A passeata encerrou na praça da Liberdade, em frente ao Instituto Federal do Piauí (IFPI).  Os agentes penitenciários da Casa de Custódia de Teresina estão de braços cruzados em adesão ao movimento. 

Além disso, aderiram ao movimentos docentes da Universidade Federal do Piauí (UFPI), Universidade Estadual do Piauí (UESPI) e do Instituto Federal do Piauí (IFPI), Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Teresina (Sindserm), Sindicato dos Trabalhadores em Saúde e Previdência Social do Piauí,  sindicatos dos Urbanitários (Chesf, Cepisa, Emgerpi/Cohab, Agespisa e Saae-Campo Maior), dos Previdênciários, da Construção Civil,  Comerciários, assim como os trabalhadores rurais, o Movimento Sem-Terra (MST) e o INCRA

Os funcionários dos Correios iniciaram greve, por tempo indeterminado, na manhã de quinta-feira (27). Os funcionários dos Correios pararam as viaturas de distribuição e ficaram na frente do prédio da empresa no bairro Monte Castelo.

Image title

Image title

Image title

Image title

Manifestantes colocam fogo em pneus e bloqueiam BR-316

Os moradores do Residencial Eduardo Costa, localizado no bairro Parque Sul, na zona Sul de Teresina estão realizando uma manifestação na BR-316. Os manifestantes bloquearam a rodovia completamente no km 14, colocando fogo em pneus e pedaços de madeira. Os moradores alegam que estão há várias semanas sem o abastecimento de água e energia na região.



O ex-presidente da Associação do bairro,  Farlynei Cassio, afirma que o residencial não possui nenhum serviço de atendimento básico como unidades de saúde e escolas, além de não possuir estrutura para que os moradores possam residir no local.

A Polícia Rodoviária Federal (PRF), encaminhou equipes para tentar negociar um acordo com os moradores que estão realizando a manifestação, mas os ânimos no local estão bastante exaltados. Os manifestantes levaram cartazes e entoam palavras de ordem. Um longo congestionamento é registrado no local.


Image title


Image title

Image title

Fonte: Portal Meio Norte