Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

Hanseníase em crianças e adolescentes preocupa

A Fundação Municipal de Saúde (FMS) lançou na manhã da quarta-feira, na Escola Municipal Cristina Evangelista, zona Sul de Teresina, a 6º edição da Campanha Municipal de Hanseníase e Verminose.

Compartilhe

A hanseníase é uma doença crônica, transmissível, de notificação compulsória e investigação obrigatória em todo território nacional. Mesmo com ações de combate, casos em menores de 15 anos ainda são diagnosticados no país, sinalizando focos de infecção ativos e transmissão recente da doença. A capital, Teresina, ocupa a 8ª posição no ranking nacional em casos de hanseníase em menores de 15 anos. Em 2018, o número de casos diagnosticados nessa faixa etária foi 26, o que corresponde a um coeficiente de detecção de 12,7 casos por 100.000 habitantes.

Com o objetivo de reduzir a carga parasitária de verminoses em escolares do ensino público fundamental, e identificar casos suspeitos de hanseníase, a Fundação Municipal de Saúde (FMS) lançou na manhã da quarta-feira, na Escola Municipal Cristina Evangelista, zona Sul de Teresina, a 6º edição da Campanha Municipal de Hanseníase e Verminose.

“Quando você tem hanseníase em crianças menores de 15 anos, é um indicativo que essa criança contraiu de alguém de dentro da família ou que tem proximidade com ela. A transmissão da hanseníase é prolongada e contínua, diferente da gripe, que você se contamina e pode ser que amanhã você já tenha a doença; com a hanseníase é aos poucos”, disse Amariles Borba, diretora de Vigilância em Saúde da FMS.


Para identificação dos casos de hanseníase é adotado o “método do espelho”, que consiste no preenchimento da ficha de autoimagem para identificação de escolares que apresentem sinais e sintomas sugestivos de hanseníase. A ficha é distribuída aos estudantes, preenchida pelos pais e/ou responsáveis e devolvida para a escola em, no máximo, dois dias. Já o combate às verminoses é feito com o uso do medicamento para profilaxia das verminoses, o Albendazol 400 mg, via oral, dose única, sob a supervisão de um profissional da Estratégia de Saúde da Família. A realização dessa ação de profilaxia e de diagnóstico de hanseníase em escolares está em conformidade com as recomendações de Órgãos Internacionais, como a OPAS/OMS.

Crédito: José Alves Filho

“É muito importante essa ação, porque vamos identificar não só crianças com a possibilidade de ser portadora de hanseníase, como alguém muito próximo a ela, que também tem a doença e não está se tratando ou começou o tratamento recentemente”, disse Amariles. 

As 140 escolas municipais serão visitadas para o combate à hanseníase. Com relação aos resultados, se a criança tiver a mancha, uma equipe  verificará se há consistência da suposição diagnóstica, e se confirmado, a criança será levada a um especialista dermatologista para confirmar ou não o diagnóstico. Confirmando a doença, a criança, no ato da consulta, já toma a primeira dose de medicamento e leva os outros comprimidos para serem tomados em casa.

“Teresina aderiu à campanha, e este ano estamos realizando, junto às equipes de saúde da família, a atividade na ajuda do diagnóstico da hanseníase. Temos que ficar atentos, realizar atividades de busca e informação sobre a doença”, falou Svetlana Coelho, enfermeira da Diretoria de Vigilância em Saúde da FMS. (A.S.)


Tópicos
Compartilhe

veja também

Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar