Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore

Ibama aplica multa de R$ 2 milhões por produtos ilegais enviados pelo correio

Ibama aplica multa de R$ 2 milhões por produtos ilegais enviados pelo correio

Compartilhe

O Ibama inicia nesta quinta-feira (13) a retirada dos produtos de origem animal e vegetal retidos no ?ltimo semestre pela Receita Federal na sede dos Correios em S?o Paulo. A opera??o foi batizada de ?Arca de No?. O valor estimado das multas aplicadas aos infratores chega a R$ 2,3 milh?es.

A maior parte do material foi coletada quando era enviada para o exterior sem as licen?as necess?rias. O envio ou recebimento de animais, vegetais ou microorganismos ou suas partes precisa de autoriza??o do Ibama e do pagamento de taxas federais.

Dentre os produtos apreendidos est?o cerca de 300 orqu?deas (planta amea?ada de extin??o), 576 insetos e 3,7 mil conchas marinhas, de acordo com balan?o preliminar do Ibama. As cargas eram destinadas para pa?ses como Alemanha, Su??a e R?ssia. O Ibama tamb?m apreendeu duas peles de raposa que foram enviadas da China para o Brasil.

"Pode ser at? a biopirataria. Isso foi coletado de uma maneira qualquer na natureza com a inten??o de mandar isso pra fora do pa?s", afirmou o chefe da fiscaliza??o do Ibama, Lu?s Ant?nio Gon?alves de Lima, sobre a apreens?o de orqu?deas.

As encomendas que s?o mandadas pelos Correios para o exterior passam antes por uma triagem da Receita Federal, em S?o Paulo. Na esteira, um equipamento de raio-x revela o interior da embalagem.

Milhares de borboletas, aranhas e escorpi?es que estavam todos mortos tinham como destino a Su??a. A maior quantidade apreendida ? de conchas do Nordeste e do Esp?rito Santo que seriam mandadas para a ?sia e Europa. S?o 3,6 mil unidades de v?rios tipos e tamanhos.

As pessoas que enviaram o material foram identificadas e devem responder a processo criminal. Entre os produtos barrados nos ?ltimos seis meses, havia tamb?m pe?as de artesanato que utilizavam fragmentos de animais e plantas silvestres.

"V?m at? esp?cies vivas de um outro pa?s que n?o s?o da nossa fauna. Isso pode causar problemas na nossa cadeia ecol?gica", alerta Analice de Novais Pereira, superintendente do Ibama em S?o Paulo.


Tópicos
Compartilhe
Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar