Instituto de Águas e Esgotos monitora ações da Águas de Teresina

Comitê de Monitoramento foi instalado sob coordenação do instituto

Duas semanas após o Governo do Estado ter repassado a gestão do sistema de abastecimento de água e tratamento de esgoto da capital para a empresa Águas de Teresina, o diretor-geral do Instituto de Águas e Esgotos do Piauí, Francisco Costa, realizou a primeira visita de monitoramento às instalações da subconcessionária. Foram visitadas a Estação de Tratamento de Água da zona sul (ETA Sul), Posto de Atendimento do Parque Piauí (antigo Elo Sul) e a sede da Águas de Teresina.

Francisco Costa avalia positivamente as ações iniciais da empresa. “Por essa primeira avaliação que fizemos, pudemos ter uma boa percepção do cuidado, do zelo como está sendo conduzido o processo de gestão pela subconcessionária e acreditamos que essa modelagem tem condições de atender melhor a população”, disse o diretor.

A modernização do sistema e integração dos setores de forma automática têm sido algumas das principais preocupações da empresa. “Uma perspectiva que num curto espaço de tempo o monitoramento do sistema seja bem integrado. A nossa perspectiva é que essas comunicações sejam mais automáticas, já que essa troca de informações entre os setores da empresa hoje estão manuais”, explicou Cleyton Bezerra, gerente de operações da Águas de Teresina.

Além da visita, um Comitê de Monitoramento, coordenado pelo Instituto de Águas, foi montado para fiscalizar as ações da subconcessionária preestabelecidas no contrato. A primeira reunião foi realizada nessa quarta-feira (19), na sede do instituto, e contou com a participação de representantes da Agência Municipal de Regulação de Públicos de Teresina (Arsete), Agespisa, Superintendência de Parcerias e Conceções do Estado (Suparc) e Prefeitura de Teresina.

“A partir de agora, teremos um cronograma mensal de reuniões, de avaliação e de controle para o cumprimento do contrato. A proposta é que, com esse monitoramento, possamos, juntos, garantir a boa prestação de serviço nessa área que é o compromisso maior tanto do Município de Teresina como do Governo do Estado, de modo que o próprio plano emergencial que foi definido pela empresa possa ser fielmente cumprido”, explicou Costa.

Uma obra de interligação na rede de abastecimento no Residencial Eduardo Costa, zona sul da capital, já está sendo iniciada pela empresa Águas de Teresina. A intervenção faz parte do plano de ações emergenciais nos bairros que mais sofrem com a falta de água na cidade, principalmente no B-R-O bró, período crítico onde a temperatura fica muito elevada. A obra também vai atender moradores do Residencial Orgulho do Piauí, na mesma região, beneficiando mais de 7,2 mil pessoas no total.


O contrato, firmado entre Governo do Estado e Águas de Teresina, tem duração de 30 anos, e é composto por metas e prazos que garantem que a prestação dos serviços, já em curto e médio prazo, traga benefícios para a população de Teresina.


O documento prevê ainda um investimento de R$ 1,7 bilhão - sendo R$ 650 milhões nos primeiros cinco anos. Dentre as principais ações a serem desenvolvidas pela subconcessionária, estão a perfuração de poços, interligações de redes, instalação de novos equipamentos até manobras operacionais no sistema de distribuição.


Image title

Image title

Image title


Fonte: Com informações do Portal do Governo