Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

Afegã que foi mutilada pelo marido mostra pós-cirurgia

Aesha virou o símbolo da luta contra a opressão das mulheres no Afeganistão.

Afegã que foi mutilada pelo marido mostra pós-cirurgia
Aesha virou o símbolo da luta contra a opressão das mulheres no Afeganistão. | Reprodução
Compartilhe


Afegã que teve rosto mutilado pelo marido mostra o resultado da cirurgia reconstrutora

A jovem Aesha Mohammadzai ficou conhecida no mundo inteiro, ao sair na capa da revista americana Time, em agosto de 2010, com o rosto mutilado, vítima de um casamento abusivo. Quase três anos depois, a afegã de 19 anos mostra o resultado de uma série de cirurgias reconstrutivas.

Aesha virou o símbolo da luta contra a opressão das mulheres no Afeganistão. Ela teve o nariz e as orelhas cortados pelo marido e pela família dele, depois que tentou fugir.

Ao aparecer na capa da Time, Aesha ganhou a ajuda de diversas pessoas. Agora, ela vive nos Estados Unidos, no estado de Maryland, com uma família que a ?adotou?. Lá, ela tem tratamento médico e ganhou até uma irmã mais nova, de 15 anos.


Afegã que teve rosto mutilado pelo marido mostra o resultado da cirurgia reconstrutora

Para reconstruir o nariz de Aesha, os especialistas estimularam a produção de tecido na testa dela, e essa porção extra foi transplantada para o nariz. Segundo o tabloide britânico Daily Mail, a afegã também teve tecido do antebraço transplantado no rosto.

As feridas de Aesha irão cicatrizar em breve. Mas apenas as visíveis, já que ela levará pelo resto da vida o trauma da agressão.

- Eu era abusada pelo meu marido e pela família dele todos os dias. Mentalmente e fisicamente. Um dia, isso se tornou insuportável e eu fugi. Eles me apanharam e me colocaram em uma prisão por cinco meses. Quando fui ao juiz, ele me enviou de volta para o meu marido. Naquela noite, eles (a família do marido) me levaram para as montanhas - relembrou ela, em entrevista à emissora ITV. - Eles amarraram minhas mãos e pés. E disseram que a punição seria cortar meu nariz e orelhas. E foi isso o que fizeram.

Aesha foi deixada nas montanhas para morrer, mas conseguiu chegar à casa do avô.

- Quando eles cortaram meu nariz e orelhas, eu desmaiei. Acordei no meio da noite, e senti como se tivesse água gelada no meu nariz. Abri os olhos e nem conseguia enxergar por causa de todo o sangue - contou a afegã à rede de notícias CNN, em outra ocasião.

Quando Aesha completou 12 anos, o pai a prometeu em casamento para um membro do Talibã, para quitar uma dívida. Ela chegou a ser forçada a dormir no estábulo, com os animais. Nunca tinha ido para a escola, nem celebrado o próprio aniversário. Agora, se diz feliz com a nova vida.

- Eu quero dizer às mulheres que sofrem algum tipo de abuso, para serem fortes. Nunca desista, nem perca as esperanças.


Tópicos
Compartilhe
Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar