“Cachorra mais triste do mundo” é salva de eutanásia

Depois de ter sido rejeitada por duas famílias

Não é fácil superar a rejeição de quem a gente espera só receber amor. A cadelinha Lana, uma mistura de labrador caramelo, passou por isso duas vezes. A tristeza tomou conta do seu coração, e ela ficou conhecida como a “cachorra mais triste do mundo”.


Lana chamou atenção na internet em 2015, depois de ter sido abandonada por sua primeira família. A foto em que aparece chateada no canil correu o mundo. Mais de 4 mil pessoas se candidataram para adotar Lana, além de terem doado 15 mil dólares para cuidar das necessidades da cachorra. Em janeiro de 2016, ela encontrou um novo lar, porém foi novamente rejeitada pelos tutores.

“A adoção da Lana não funcionou porque as pessoas querem um cachorro para fazer carinho e brincar. Lana é uma menina bobona e brincalhona, mas ela não é o tipo de cão que deixará você acariciá-la na barriga ou que dormirá na cama. Ela adora ter uma função“, revelou Brenda Dobranski, fundadora da ONG Rescue Dogs Match, que recebeu a mascote após a segunda adoção fracassada.

A cadelinha sofreria eutanásia caso não fosse adotada até o dia 20 de maio. Felizmente, uma nova família apareceu disposta a dar todo o carinho que Lana merece – e, desta vez, para ficar com ela para sempre. Lana desenvolveu um comportamento defensivo em virtude das adoções frustradas e, por isso, ela passará por um programa de treinamento.

“Nós estamos felizes de informar que Lana encontrou uma nova família e um novo programa de treinamento. Gostaríamos de agradecer todos por sua preocupação e apoio e nós continuaremos atualizando-os”, escreveu a ONG canadense Rescue Dogs Match em seu site.

Image title
Image title
Image title

Fonte: Terra
logomarca do portal meionorte..com