Conheça Camila, a cachorra que achou avião desaparecido

Camila trabalhava na brigada de bombeiros voluntários desde 2005

Seria o grande dia de sua aposentadoria. Com uma cerimônia no quartel dos Bombeiros Voluntários, no último sábado (19), Camila , uma cachorra da brigada canina K-9 de resgates de San Antonio de Areco, na Argentina, iria receber uma condecoração pelos seus 12 anos de serviço. Depois do evento, finalmente deixaria de trabalhar bravamente. Porém, o chefe da brigada acabou recebendo uma chamada nos “45 do segundo tempo”, que o obrigou a mudar todos os planos. E, assim, a aposentadoria da fiel trabalhadora seria suspensa – pelo menos por mais um dia.


O chamado era urgente. Afinal, precisavam encontrar um avião desaparecido e, desse modo, a cachorra poderia ajudar no resgate, que já durava quase um mês. A aeronave havia sumido no dia 24 de julho logo após deixar o aeroporto de San Fernando. Mas, honrando todos os anos como membro da equipe dos bombeiros, Camila ajudou a encontrar os restos do avião, que se encontravam próximos ao rio Paraná Guazú, na região onde desemboca no rio Uruguai, em Entre Rios. 

 (Crédito: Reprodução/bomberosdeargentina.org.ar )
(Crédito: Reprodução/bomberosdeargentina.org.ar )

Segundo o jornal da Argentina La Nación , a ajuda da Brigada Canina K-9 foi peça-chave neste caso. E a presença de Camila, que é um dos membros mais velhos e mais condecorados da equipe, foi essencial, já que foi ela quem encontrou os ocupantes da aeronave desaparecida. Assim, os investigadores conseguiram ir em direção os restos mortais das vítimas do acidente.

O chefe do quartel de bombeiros voluntários de Areco, Guillermo Testoni, foi quem decidiu suspender a aposentadoria do eficiente animal, e comentou que “se havia alguém que poderia acabar com as buscas, seria ela”. E, pelo visto, não se equivocou.

“Assim que chegamos ao local do acidente, Camila latiu e permaneceu parada na zona da cratera formada após a queda do avião. O latido significava que ela havia sentido a presença de restos humanos [sendo treinada para tanto]. Então, nos afastamos para ver se havia mais vestígios em outra área próxima, mas Camila retornou permanentemente ao lugar da cauda do avião. Não havia dúvida de que eles estavam lá”, contou Testoni.

Ainda segundo o jornal local, a região onde a aeronave caiu era um pântano de difícil acesso. Nenhuma pessoa conseguiria caminhar nas turfas que se encontravam no rio e na área que rodeava os restos do avião. Desse modo, as equipes de resgate decidiram utilizar os cães e alguns drones. 

A equipe de investigadores, então, seguiram as pistas reveladas pela esperta Camila e encontraram os corpos do piloto Matías Ronzano, do copiloto Emanuel Veja, e do dono da aeronave, Matías Aristi.

Depois da missão cumprida, a cachorra finalmente pode se aposentar. Com 12 anos, Camila é o único cão do país que já foi certificado duas vezes nos Estados Unidos, tendo recebido prêmios internacionais. Ela chegou à brigada em 2005, com falso pedigree de labradora, mas demonstrou ter verdadeiros dotes de investigadora, segundo conta o chefe do quartel. No ano passado, Camila enfrentou um câncer, inclusive passando por quimioterapia. Mesmo depois de curada, mostrou-se um pouco debilitada – afinal, já tem idade avançada. Por isso, o descanso agora é mais do que merecido.


Fonte: iG