Helicóptero que fazia resgate de hotel soterrado cai na Itália

15 corpos ainda foram resgatados

Um helicóptero que trabalhava em uma operação de resgate na Itália caiu nesta terça-feira (24) na estação de esqui de Campo Felice, na cidade de Rocca di Cambio, região de Abruzzo, centro do país, com seis pessoas a bordo. 


Trabalhando pelo serviço de emergência da Itália , o helicóptero participava dos trabalhos de socorro do hotel Rigopiano, que foi soterrado por uma avalanche na última quarta-feira (18).

Image title

Essa mesma região vem sofrendo uma série de terremotos desde a semana passada e enfrenta também uma intensa onda de mau tempo. 

O helicóptero havia sido acionado para a região da estação de esqui para resgatar um esquiador ferido. Segundo testemunhas, a aeronave teria caído de uma altura de 600 metros.

A condição do tempo em Campo Felice na tarde desta terça é de céu limpo, vento moderado e temperatura entre -2°C e 1°C. A aeronave já foi localizada por outro helicóptero de resgate e, segundo a imprensa italiana, está completamente destruída.

Os bombeiros confirmaram que há vítimas fatais, mas não se sabe quantas.

Hotel soterrado

Ainda nesta terça-feira, o Corpo de Bombeiros da Itália anunciaram o resgate de mais um corpo de homem dos escombros do hotel Rigopiano, soterrado na semana passada. Com isso, sobe para 15 o número de mortos na avalanche, e cai para 14 o de desaparecidos. 

Até o momento, as autoridades italianas anunciaram 11 sobreviventem, sendo que a maioria delas passou mais de 24 horas debaixo da neve.

O hotel Rigopiano, localizado na cidade de Farindola, província de Pescara, foi soterrado por toneladas de neve que desabaram das montanhas do Parque Nacional de Gran Sasso na noite da última quarta-feira, horas após a zona central da Itália ser atingida por uma série de quatro terremotos.

O governo da Itália afirmou que havia cerca de 30 pessoas no hotel, entre hóspedes e funcionários. Não é possível saber ao certo quantas pessoas estavam no local, por conta do resgistro de hóspedes, que não contava com visitantes e pessoas que já haviam feito o check-out mas continuavam no estabelecimento esperando transporte.



Fonte: iG