Mãe que usou sexo para induzir o parto fala sobre experiência

Médico teria sugerido sexo ao casal como uma técnica

Se você assistiu à série “Friends”, provavelmente se lembra do episódio em que Rachel está extremamente cansada de carregar o barrigão de grávida para todo canto após se passarem vários dias da data que os médicos haviam indicado para o nascimento da pequena Emma. Desesperada, ela e Ross vão ao médico e perguntam o que pode ser feito para induzir o parto . A resposta dele? Sexo.


Na série, o casal não chega a testar a tática porque a bolsa de Rachel estoura antes, mas a australiana de 26 anos Sophie Cachia, dona do blog “The Young Mummy”, testou e fez um relato detalhado de como o sexo a ajudou a induzir o parto em sua mais recente gravidez. Sophie conta que, quando chegou às 42 semanas de gestação sem sinais de que o bebê estava vindo, chorava por se sentir como uma “mulher grávida atrasada e louca”.

Desesperada, Sophie começou a pesquisar sobre formas naturais de acelerar agonizante final da gravidez, e descobriu algumas alternativas: usar óleo de sálvia, comer abacaxi e transar. Em vez de escolher apenas uma técnica, a australiana decidiu testar as três e, quando as duas primeiras falharam, partiu para o "rala e rola". “Quando você se sente como uma morsa suada e atrasada e precisa que o bebê saia, faz o que precisa fazer”, brinca.

Final feliz

De acordo com Sophie, ela já havia ouvido falar sobre a prática ajudar, mas afirma que se surpreendeu ao descobrir que, além de o ato em si ajuda a induzir o parto, o sêmen também tem um papel importante. Segundo ela, enquanto alguns hormônios liberados durante o orgasmos são os mesmos que causam as contrações durante o parto, o sêmen “amacia” o colo do útero.

Ainda assim, a moça conta que transar não era exatamente algo que ela planejava fazer naquele período. “Sexo era literalmente a última coisa na minha mente, então eu fiquei na posição enquanto comia uma maçã, assistia a ‘Suits’ e Jaryd [o marido] fazia o que precisava fazer. Literalmente”, explica.

O resultado, porém, foi bem menos entediante que o sexo. “Podem dizer que foi coincidência ou pura genialidade da minha parte, mas perto da meia noite eu comecei a ter contrações fracas e irregulares”, conta. Inicialmente, ela achou que era apenas um desconforto incomum, mas logo as dores foram suficientes para acordá-la e ela precisou ir ao hospital, confirmando que estava finalmente em trabalho de parto. Após um parto sem complicações, a pequena Florence veio ao mundo e, hoje, está com sete meses.

 (Crédito: Reprodução Instagram)
(Crédito: Reprodução Instagram)


 (Crédito: Reprodução Instagram)
(Crédito: Reprodução Instagram)



Fonte: iG
logomarca do portal meionorte..com