Mulher tromba em fogão e contrai bactéria que "devora" o rosto

Infecção "fasciíte necrosante" causa gravíssimos problemas de saúde

Donna Corden, de 46 anos, bateu a cabeça em um fogão, no começo deste ano, e acabou com um pequeno corte na parte superior de sua sobrancelha. O problema parecia ser pequeno. Porém, 24 horas depois, a inglesa descobriu que a situação era mais grave do que o imaginado: ela contraiu uma bactéria “devoradora de carne humana”.


Com seu rosto mudando de cor e alguns episódios de delírio e tontura, Corden procurou um centro médico com urgência e logo foi diagnosticada com “fasciíte necrosante”, uma infecção, provocada por diversos tipos de  bactérias, que causa sérios danos à pessoa infectada e pode, em casos extremos, levar à morte.

Os cirurgiões do hospital realizaram um procedimento de emergência e conseguiram retirar a maior parte da pele que, afetada pela infecção, ficou necrosada. Porém, alguns dias depois, seu quadro foi agravado por uma infecção generalizada e ela correu sério risco de vida.

 (Crédito: Facebook Donna Corden)
(Crédito: Facebook Donna Corden)


Após ficar em coma induzido – para facilitar seu tratamento – Corden se recuperou aos poucos. Ela perdeu o olho esquerdo e ainda possui muitas marcas da infecção em seu rosto, porém, declarou ao Daily Mail  que sua situação poderia ser muito pior, e por isso, está muito feliz só de estar viva.

Depois de receber alta do hospital, ela continuou a realizar um tratamento intensivo, que inclui dezenas de cirurgias reconstrutivas para minimizar os efeitos estéticos da infecção. 

De acordo com o site oficial do NHS, sistema de saúde do Reino Unido, “a fasciíte necrosante é uma infecção bacteriana muito rara e perigosa , que afeta os tecidos abaixo da pele e ao redor de músculos e órgãos”.

Ela pode começar como um pequeno machucado, que não chama a atenção, mas piora em um curto espaço de tempo e pode matar a pessoa infectada, caso não seja identificada e tratada o mais rápido possível.

Segundo o NHS, é essencial procurar um hospital em caso de suspeita de infecção pela bactéria. Os profissionais saberão lidar com a situação para tratá-la da forma mais apropriada. 


Fonte: iG
logomarca do portal meionorte..com