Papa Francisco quer intermediar crise entre EUA e Coreia do Norte

Vaticano quer chegar a uma resolução que impeça as mortes.

Um jornal italiano chamado ‘La Repubblica’, publicou nesta segunda-feira (30/10), que o Papa Francisco estaria trabalhando com o objetivo de mediar a crise entre os Estados Unidos e a Coreia do Norte.

De acordo com informações do periódico, o Vaticano quer chegar a uma resolução que impeça as milhares de mortes  e mude o equilíbrio do mundo. Uma das fontes entrevistadas informou que "chamar a atenção sobre o uso nuclear como instrumento de morte e encontrar uma estrada para eliminá-lo é uma das prioridades do Papa".

"O sinal tangível da intervenção papal na crise norte-coreana é a reunião mundial para o desarmamento nuclear, desejada pelo papa Francisco, que ocorre em 10 e 11 de novembro. Está prevista a participação também de 11 Prêmios Nobel da Paz", escreveu o jornal.

Representando o Vaticano, estarão presentes o secretário de Estado, cardeal Pietro Parolin, e o prefeito do Dicastério para o Desenvolvimento Humano Integral, cardeal Peter Tukson. O Pontífice fará o discurso de abertura. Também estarão presentes no encontro representantes da Organização das Nações Unidas (ONU) e da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan).

O delegado da Santa Sé para políticas de desarme nuclear, monsenhor Silvano Tomasi, afirmou que o encontro já estava planejado antes que as manchetes dos jornais fossem sobre a Coreia do Norte, mas que é evidente que agora todos estão perante ao risco do uso de armas atômicas.

Fonte: Com informações do OGlobo
logomarca do portal meionorte..com