Pedofilia: Homem aproveita aparência infantil para marcar encontros

Britânico aproveita de sua aparência infantil para pedofilia

Um caso de pedofilia chamou a atenção da Inglaterra nos últimos dias, já que o criminoso se aproveitou de sua aparência quase infantil para conseguir marcar encontros com meninas menores de idade pela internet. A história de Corey Deans, de 22 anos, acabou sendo descoberta por oficiais de combate ao crime de pedofilia depois de ele ter conversado com um perfil falso de uma suposta adolescente de 15 anos. 


Segundo o site "The Mirror", após trocar mensagens de cunho sexual com "Katie", o perfil falso criado pelos agentes, o inglês acabou sendo surpreendido ao chegar ao local onde havia marcado de se encontrar com ela, e, ao invés disso, dar de cara com o grupo de combate ao crime de assédio e abuso contra menores. 

Image title

Corey havia trocado mensagens com Katie por meio do site adulto "Badoo". Em suas conversas, ele deixou claro que pretendia tirar a virgindade da menina. Afinal, eles discutiam atividades sexuais que, supostamente, reproduziriam no dia que se encontrassem. De acordo com os agentes, o modo com que o inglês falava se caracteriza, claramente, como crime de pedofilia.

“Ficou bem claro que você pretendia encontrar ela no momento combinado para propósitos sexuais. Mesmo sabendo que ela tinha apenas 15 anos. Suas conversas tinham tom sexual, com discussões sobre atividades sexuais”, disse o juiz a Corey.

Corey Deans já era uma figura conhecida na cidade depois de ter lutado contra um tumor cerebral durante a infância. Ele recebeu apoio de toda a comunidade durante seu tratamento, que durou 11 anos. Há questionamento quanto a possibilidade de o tumor ter afetado seu discernimento, levando ao comportamento predatório.

Durante o julgamento, o juiz fez referência à doença enfrentada por Deans. “Infelizmente, você sofreu com o câncer desde os sete anos, você teve um tumor cerebral e passou dois anos no hospital. Você recebeu tratamento até os 18 anos, foi um tratamento de longo prazo. Se esta lesão ao seu cérebro resultou ou não nesse tipo de comportamento, eu não sei.”

Deans foi condenado a seis meses de prisão, que devem ser cumpridos em 2018. Caso demonstre bom comportamento até lá, o juiz pode retirar a pena. Nesse tempo, ele precisará passar por reabilitação e por um programa para agressores sexuais. Além disso, foi obrigado a assinar o registro de agressores sexuais.

O jornal britânico "The Mirror" alega que desde a denúncia de pedofilia, Corey Deans perdeu seu emprego e a maior parte de seus amigos como consequência de seus atos, mas já encontrou um novo trabalho. Ele e sua família, inclusive seus pais e avós, receberam ofensas e ameaças de morte. “Ele sofreu”, afirmou seu advogado de defesa.


Fonte: iG