Irmã de Aécio Neves chega a presídio em Belo Horizonte

Andrea foi presa na manhã desta quinta (18) pela Polícia Federal

A jornalista Andrea Neves, irmã do senador Aécio Neves (PSDB-MG), chegou, por volta das 14h40, desta quinta-feira (18), no Complexo Penitenciário Feminino Estevão Pinto, no bairro Horto, na região leste de Belo Horizonte, onde ela vai ficar à disposição da Justiça. Andrea foi presa nesta manhã, pela (PF) Polícia Federal, na casa dela, em Brumadinho, na região metropolitana de BH.

Após a polícia cumprir mandados de busca e apreensão e de prisão na casa da jornalista durante a manhã, ela foi encaminhada para a sede da PF em Belo Horizonte, onde prestou depoimento. No início da tarde, Andrea foi encaminhada para o IML (Instituto Médico Legal), para passar por exames de corpo de delito, antes de ser levada para o presídio.


O Supremo Tribunal Federal expediu um pedido de prisão preventiva para Andrea após ela ter sido citada na delação do empresário Joesley Batista, dono da JBS. Segundo as investigações, a irmã do senador teria trocado mensagens de negociação ilícitas com Batista.

O apartamento de Andrea no Rio de Janeiro também foi alvo de busca e apreensão. Como não havia ninguém no local, um chaveiro foi chamado pela Polícia Federal para abrir o imóvel. Além de irmã do senador, Andrea também é assessora e braço direito de Aécio Neves.

Delação

Segundo as investigações, Batista teria gravado imagens de Aécio Neves pedindo a ele R$ 2 milhões em propina para pagar a própria defesa nos processos da Operação Lava Jato. De acordo com informações do jornal O Globo, o dinheiro da JBS teria sido depositado na conta da empresa Tapera Participações Empreendimentos Agropecuários, do também senador Zezé Perrela (PMDB-MG). Frederico Pacheco de Medeiros, primo de Aécio, é suspeito de ter recebido maletas com a propina e entregar ao secretário parlamentar de Perrela, Menderson de Souza Lima.

Medeiros também foi preso nesta manhã, na casa dele, em um condomínio na cidade de Nova Lima, na região metropolitana de Belo Horizonte. Ele foi diretor da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), nomeado por Aécio, quando o tucano era governador de Minas. Medeiros também foi um dos coordenadores da campanha de Neves à presidência em 2014.

A PF também fez buscas em um imóvel de Perrela, em Belo Horizonte. Em um vídeo publicado em sua rede social na noite de quarta-feira (17), o senador declarou que nunca teve contato com ninguém do Grupo JBS e que não recebeu 'um real sequer' da empresa.

Fonte: r7
logomarca do portal meionorte..com