Uma adolescente foi queimada viva em sua casa no Leste da Índia por dois homens, um dia depois de estuprá-la, comunicou neste sábado a polícia, em um novo caso de violência sexual a chocar o país. A jovem de 16 anos foi raptada em Chatra, uma aldeia localizada na região do estado de Jharkhand, quando a família estava em um casamento, e foi estuprada pelos homens na quinta-feira em um parque florestal, de acordo com a polícia local.

Ativista segura cartaz em protesto contra a violência sexual na Índia no mês passado (Crédito: AP/Aijaz Rahi)
Ativista segura cartaz em protesto contra a violência sexual na Índia no mês passado (Crédito: AP/Aijaz Rahi)

A família denunciou o crime ao Conselho local, que ordenou que os acusados pagassem uma indenização de 50 mil rúpias (cerca de US$ 770). O Conselho local, uma entidade formada pelos membros mais velhos da comunidade, geralmente resolve disputas, evitando assim que os casos sigam para sistema Judiciário indiano, lento e caro.

Conforme a polícia, esta decisão irritou os homens, que espancaram os pais da jovem antes de atearem fogo nela, indicou à AFP um funcionário da polícia local, Ashok Ram. 

Apesar disso, ainda neste sábado o magistrado indiano Jitendera Singh mandou prender 14 pessoas acusadas de envolvimento do caso.