Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore

Juíza concede regime semiaberto ao ex-coronel Correia Lima

Considerado o chefe do crime organizado do Piauí, Correia Lima está preso desde o dia 08 de outubro de 1999, na Penitenciária Mista Fontes Ibiapina, localizada no município de Parnaíba, onde cumpre condenações que somam mais de 129 anos de prisão.

Compartilhe

Após 21 anos preso em regime fechado, José Viriato Correia Lima, mais conhecido como ex-coronel Correia Lima tem semiaberto concedido pela juíza Maria do Perpétuo Socorro Ivani de Vasconcelos, da Vara de Execução Penal da Comarca de Parnaíba, nesta quarta-feira (09/09). 

Considerado o chefe do crime organizado do Piauí, Correia Lima está preso desde o dia 08 de outubro de 1999, na Penitenciária Mista Fontes Ibiapina, localizada no município de Parnaíba, onde cumpre condenações que somam mais de 129 anos de prisão. 

Ex-coronel Correia Lima

Na decisão a juíza considerou o cumprimento de 1/6 das penas, 21 anos, 7 meses e 10 dias, e o membro do Ministério Público apoiou a progressão de regime do apenado. Correia Lima deverá cumprir o regime semiaberto na Colônia Agrícola Major César.

No regime semiaberto, os presos recebem benefícios, como saídas temporárias durante o ano e até mesmo a possibilidade de trabalhar do lado de fora do presídio devendo se recolher no período da noite e aos finais de semana.

A juíza  Maria do Perpétuo Socorro solicitou informações ao juiz da Execução Penal da Comarca de Teresina sobre o número de vagas disponíveis na penitenciária, Colônia Agrícola Major César. Caso não tenha vaga para o ex-coronel, ele deverá cumprir o seu regime semiaberto em prisão domiciliar.

Confira a decisão

Entenda o caso

O ex-coronel Correia Lima responde pelos crimes de homicídio contra Leandro Safanelli, morto em 1989, condenado a 23 anos; Zé Quelé, assassinado em 1996, também condenado a 23 anos,  e do professor e engenheiro José Ferreira Castelo Branco, mais conhecido como Castelinho, executado à queima roupa em 1999, condenado a 25 anos.

No dia 24 de setembro de 2015,  o ex-coronel Correia Lima, a professora universitária aposentada e viúva de José Ferreira Castelo Branco, Ana Zélia Correia Lima Castelo Branco e  o policial militar da reserva Francisco Moreira do Nascimento foram condenados pelo assassinato do engenheiro Castelino. O ex-coronel e a viúva do empresário foram os mandantes do crime. 

O assassinato do engenheiro José Ferreira Castelo Branco foi assassinado  com três tiros, em 1999, quando fazia caminhada no bairro Ininga, na zona Leste de Teresina. Francisco Moreira foi o responsável pela execução de José Ferreira Castelo Branco e Correia Lima e Ana Zélia Correia a Lima e Correia Lima foram os mandantes.

Ana Zélia contratou Correia Lima para matar seu marido porque  temia o divórcio que tinha sido anunciado por  José Ferreira Castelo Branco. Segundo os autos do processo, Zélia Correia Lima pagou R$ 70 mil para Correia Lima para executar o marido.  


Tópicos
Compartilhe
Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar