Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore

Justiça dá liberdade a ex-presidente da Cisco

Justiça dá liberdade a ex-presidente da Cisco

Compartilhe

A Justi?a Federal concedeu liberdade provis?ria para nove r?us da chamada "Opera??o Persona" nesta ter?a-feira (11). Entre os beneficiados est? o ex-presidente da Cisco Systems do Brasil, Carlos Roberto Carnevali. A decis?o foi deferida pelo juiz federal substituto Luiz Renato Pacheco Chaves de Oliveira, da 4? Vara Criminal de S?o Paulo.

Eles s?o suspeitos de integrar esquema de sonega??o de impostos que teria como benefici?ria final a empresa norte-americana Cisco Systems do Brasil. Estima-se que o preju?zo provocado aos cofres p?blicos por fraudes em importa?es chegue a R$ 1,5 bilh?o.

Foram liberados provisoriamente os seguintes r?us: Carlos Roberto Carnevali, Helio Benetti Pedreira, Moacyr ?lvaro Sampaio, Jos? Roberto Pernomian Rodrigues, Fernando Machado Grecco, Marcelo Naoki Ikeda , Paulo Roberto Moreira, Ernani Bertino Maciel e Cid Guardia Filho.

A Cisco anunciou a demiss?o de Carnevali, que ocupava o cargo de vice-presidente da empresa para a Am?rica Latina e Caribe, no dia 22 de novembro, data em que a Justi?a Federal aceitou a den?ncia do Minist?rio P?blico.

Na ocasi?o, a companhia afirmou que continuaria a revisar os fatos no Brasil e a tomar as "medidas disciplinares e corretivas apropriadas". "Se for descoberto que outros funcion?rios violaram a lei brasileira ou o C?digo de Conduta de Neg?cios da Cisco, estas viola?es ser?o tratadas de modo severo", informou.

Sem risco

Na avalia??o do juiz, a liberdade dos r?us n?o representa risco ? ordem econ?mica nem facilita poss?vel vazamento de informa?es sigilosas sobre as investiga?es, principais argumentos para a pris?o preventiva dos r?us, decretada no dia 25 de outubro.

Segundo nota da assessoria de imprensa da Justi?a Federal, da mesma forma que a pris?o preventiva n?o representa uma condena??o antecipada, mas uma medida de

cautela, a sua revoga??o tamb?m "n?o antecipa absolvi??o". O processo e as investiga?es continuam.

Ainda de acordo com a Justi?a Federal, a decis?o foi tomada com base no interrogat?rio dos presos e an?lise de novos documentos juntados aos autos.


Tópicos
Compartilhe
Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar