Mãe se desespera em velório de bebê atropelada: ‘Quero minha filha’

A mulher, que também foi atropelada, chegou de cadeira de rodas.

Na manhã deste sábado (20/01), ocorre o velório da bebê Maria Louise, de apenas 8 meses, morta após ser uma das vítimas do atropelamento coletivo ocorrido no calçadão da praia de Copacabana, no Rio de Janeiro. Segundo a família, o enterro da pequena acontecerá na tarde de hoje no Cemitério São João Batista, em Botafogo.

Parentes começaram a chegar na capela por volta das 10h. O pai da vítima, o motorista Darlan Rocha, ficou por cerca de 20 minutos chorando em cima do caixão.

Já a mãe, Niedja da Silva Araújo, que também foi atropelada no acidente chegou ao local do velório chorando muito e de cadeira de rodas. “Eu quero a minha filha”, gritava ela. Revoltado, Darlan voltou a desabafar e chamou o motorista Antonio Almeida Anaquim de monstro: "É inexplicável como um motorista pode dirigir com a carteira suspensa".

Os pastores da Assembleia de Deus, Isaías Domingos Vieira e a mulher Vera Lúcia Vieira contaram que Niedja passou a noite na casa deles porque ela mora na Ladeira dos Tabajaras num local de difícil acesso e que ela não teria como chegar por causa dos ferimentos na perna. O marido Darlan, também dormiu na casa dos pastores. O casal contou que Niedja não dormiu e chorou a noite inteira. Eles tentaram convencê-la a vir mais tarde para o velório, mas não conseguiram.

 (Crédito: Alba Valéria Mendonça/G1)
(Crédito: Alba Valéria Mendonça/G1)

"Ela quis vir cedo para o velório. Está sendo muito doloroso para essa mãe de 23 anos, que estava começando a construir sua família, que numa noite de muito calor foi à praia para se refrescar e voltou pra casa sem o seu bebê. Não entendo como alguém dirige com a carteira suspensa e anda mente", disse a pastora Vera.

O pastor disse que o advogado da igreja está prestando assessoria à família e vai entrar com processo contra o motorista que causou o atropelamento coletivo em Copacabana.

Dos 17 feridos, pelo oito permanecem internados. Entre eles, um turista australiano, que está em estado grave no Hospital Miguel Couto, no Leblon, na Zona Sul.

 (Crédito: Alba Valéria Mendonça/G1)
(Crédito: Alba Valéria Mendonça/G1)


Fonte: Com informações do G1
logomarca do portal meionorte..com