Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore

Meninas e meninos devem tomar segunda dose da vacina contra HPV

Meninas de 9 a 14 anos e meninos de 11 a 14 anos devem ser vacinado

Compartilhe

A segunda temporada de vacinação contra o HPV já começou e para estar completamente protegido é necessário tomar as duas doses da vacina. Teresina tem mais de 100 salas de vacina, gerenciadas pela Fundação Municipal de Saúde (FMS), abertas em horário comercial, durante a semana. Meninas de 9 a 14 anos e meninos de 11 a 14 anos devem ir até um posto de vacinação com documento de identidade e cartão do SUS para tomar sua dose da vacina que protege contra o Human Papiloma Virus (HPV).

“A primeira parte da campanha de vacinação aconteceu em março, quando as meninas e meninos tomaram a primeira dose da vacina. Agora é a hora de tomar a segunda dose. Se ainda não tomou a primeira dose, vacine-se também. A segunda dose deve ser tomada seis meses depois da primeira”, explica Amariles Borba, diretora de Vigilância em Saúde da FMS.

Os HPVs são vírus capazes de infectar a pele ou as mucosas. Existem mais de 150 tipos diferentes de HPV, dos quais 40 podem infectar a região genital e provocar cânceres, como o de colo do útero, vulva, vagina, pênis, ânus e orofaringe, e outros podem causar verrugas genitais. Os principais vírus são combatidos com duas doses da vacina de HPV, que está disponível gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde.

 src=

Sobre a vacina

A vacina contra o HPV, ou papiloma vírus humano, é dada em forma de injeção e previne não só o HPV, mas também o câncer do colo do útero. Esta vacina é oferecida pelo SUS nos postos de saúde. 

A vacina oferecida pelo SUS é a quadrivalente, que protege contra os quatro tipos de vírus HPV mais comuns no Brasil. Após tomar a vacina, o corpo produz os anticorpos necessários para combater o vírus e assim, caso a pessoa seja infectada, ela não desenvolve a doença, ficando protegida.

A vacina administrada pelo SUS é segura e tem poucos efeitos colaterais, porque ela já foi administrada a muitas pessoas, de diversos países, e ainda não existem estudos científicos que comprovem efeitos secundários graves relacionados ao seu uso.


Tópicos
Compartilhe
Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar