Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore

MG: em depoimento, mãe diz que jogou bebê em rio

MG: em depoimento, mãe diz que jogou bebê em rio

Compartilhe

Elisabete Cordeiro dos Santos, 25 anos, suspeita de jogar a filha rec?m-nascida no rio Arrudas, em Contagem (MG), foi interrogada na tarde desta quarta-feira pela ju?za do Tribunal do J?ri de Contagem, Maria Lu?za Andrade. Segundo a pol?cia, ela confirmou que jogou o beb? no rio, mas disse que pensou que ele estivesse morto.

No dia 30 de setembro, o beb? foi encontrado boiando na ?gua polu?da e, depois de internado por cinco dias, n?o resistiu ?s les?es e infec?es e morreu, v?tima de um edema.

A m?e chegou ao F?rum de Contagem algemada e escoltada por dois policias militares. Ela n?o quis falar com a imprensa e foi direto para a sala da ju?za. Segundo c?pia do Termo de Qualifica??o e Interrogat?rio expedido pelo f?rum, Elisabete reafirmou que "jogou a crian?a no rio, mas n?o fez para mat?-la porque acreditava que ela j? tinha nascido morta".

O Minist?rio P?blico Estadual (MPE) ofereceu den?ncia contra Elisabete com base no inqu?rito conclu?do pela Pol?cia Civil, pelo qual ela foi indiciada por homic?dio qualificado, cometido com crueldade e por motivos f?teis.

Para o defensor p?blico que acompanha o caso, Andr? Luiz Gon?alves, n?o se trata de homic?dio. "A m?e afirma que s? jogou a menina no rio porque n?o sabia que estava viva, por isso o crime n?o pode ser qualificado", alegou.

"Pode se dizer que o crime tenha sido a pr?pria tentativa de aborto ou um infantic?dio, que ? cometido quando a m?e n?o tem completo dom?nio da sua atitude por ter passado pela gravidez recentemente", completou o advogado.

O promotor de Justi?a Gustavo Fantini de Castro afirmou que a tese n?o pode ser sustentada. "N?o ? poss?vel que a m?e deve ter pensado que a menina estava morta, ela ficou viva mais cinco dias depois de tudo o que aconteceu. Tamb?m o laudo do Instituto M?dico (Legal) constatou que ela estava em perfeitas condi?es mentais", disse.

Se for julgada pelo crime de infantic?dio, a pena pode chegar a seis anos. Para o crime de homic?dio qualificado, conforme a den?ncia do MPE, Elisabete pode pegar at? 30 anos de cadeia.


Tópicos
Compartilhe
Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar