Militares são capacitados para atuar no combate ao Aedes aegypti

O curso acontece nos dias 15 e 19 de dezembro

O Exército Brasileiro vai mais uma vez atuar como aliados da Prefeitura de Teresina no combate ao Aedes aegypti, transmissor da zika, dengue e chikungunya. Para isso, os militares do 2º Batalhão de Engenharia de Construção (2º BEC) passarão por uma capacitação para dar suporte aos agentes de endemia na capital.

O curso acontece nos dias 15 e 19 de dezembro, a partir das 8h da manhã, no auditório do 2º BEC. “Serão capacitados 210 militares, que irão atuar na orientação preventiva e na identificação e eliminação de criadouros do mosquito”, informa Oriana Bezerra, gerente de Zoonoses da Fundação Municipal de Saúde (FMS), que ministrará a capacitação.

As aulas serão divididas em dois momentos. “Pela manhã explanaremos a parte teórica e no turno da tarde vamos para a prática. Próximo ao BEC vamos fazer um trabalho de busca de possíveis focos do mosquito para que eles vejam em campo como será o trabalho junto à população”, explica Oriana Bezerra.

A participação do Exército na luta contra o Aedes aegypti foi uma solicitação do Ministério da Saúde, em antecipação à chegada do período chuvoso, que se caracteriza pelo aumento dos casos de dengue, zika e chikungunya. “Como integrante da sociedade, o exército está à disposição para colaborar e minimizar os problemas causados pelo mosquito”, disse o Tenente-Coronel do 2º BEC, Alessandro da Silva.

O Aedes aegypti caracteriza-se pela reprodução em água parada, mesmo em pequenos volumes. Por isso, é importante a eliminação de todo e qualquer material com capacidade de acumular água. “A população pode nos ajudar tomando cuidado para não acumular lixo em suas casas e arredores”, diz a diretora de Vigilância em Saúde da FMS, Amariles Borba. “Juntos podemos vencer esta guerra”, finaliza. 

Fonte: Portal MN
logomarca do portal meionorte..com