Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

Ministros denunciam suspeitas de grampos no STF

Ministros denunciam suspeitas de grampos no STF

Ministros denunciam suspeitas de grampos no STF
|
Compartilhe

Criado com o nome de Casa da Suplica??o do Brasil em 1808, o Supremo Tribunal Federal j? enfrentou momentos duros em seus dois s?culos de hist?ria. J? foi v?tima de dram?ticas deforma?es, como aconteceu nas d?cadas de 1930 e 1940, quando Get?lio Vargas nomeava ministros sem consultar ningu?m, e j? esteve emparedado pela ditadura militar iniciada em 1964, que chegou a expulsar tr?s ministros da corte.

Agora, ? a primeira vez que, sob um regime democr?tico, os integrantes do Supremo Tribunal Federal se insurgem contra suspeitas de pr?ticas t?picas de regimes autorit?rios: as escutas telef?nicas clandestinas. Sim, beira o inacredit?vel, mas os integrantes da mais alta corte judici?ria do pa?s suspeitam que seus telefones sejam monitorados ilegalmente. Nas ?ltimas semanas, VEJA ouviu sete dos onze ministros do Supremo ? e cinco deles admitem publicamente a suspeita de que suas conversas s?o bisbilhotadas por terceiros.

Pior: entre eles, tr?s ministros n?o vacilam em declarar que o suspeito n?mero 1 da bruxaria ? a banda podre da Pol?cia Federal. "A Pol?cia Federal se transformou num bra?o de coa??o e tornou-se um poder pol?tico que passou a afrontar os outros poderes", afirma o ministro Gilmar Mendes, numa acusa??o dura e inequ?voca.

As suspeitas de grampos telef?nicos est?o intoxicando a atmosfera do tribunal. Na quinta-feira passada, o ministro Sep?lveda Pertence pediu aposentadoria antecipada e encerrou seus dezoito anos de tribunal. Poderia ter ficado at? novembro, quando completa 70 anos e teria de se aposentar compulsoriamente.

Muito se especulou sobre as raz?es de sua aposentadoria precoce. Seus advers?rios insinuam que a antecipa??o foi uma forma de fugir das sess?es sobre o esc?ndalo do mensal?o, que come?am nesta semana, nas quais se discutir? o destino dos quadrilheiros ? entre eles o ex-ministro Jos? Dirceu, amigo de Pertence. A mulher do ministro, Suely, em entrevista ao blog do jornalista Ricardo Noblat, disse que a sa?da de seu marido deve-se a problemas de sa?de.

O ministro, no entanto, diz que as suspeitas de que a pol?cia manipula grava?es telef?nicas aceleraram sua disposi??o em se aposentar. "Divulgaram uma grava??o para me constranger no momento em que fui sondado para chefiar o Minist?rio da Justi?a, ?rg?o ao qual a Pol?cia Federal est? subordinada. Pode at? ter sido coincid?ncia, embora eu n?o acredite", afirma.

Os temores de grampo telef?nico com patroc?nio da banda podre da PF come?aram a tomar forma em setembro de 2006, em plena campanha eleitoral. Na ?poca, o ministro Cezar Peluso queixou-se de barulhos estranhos nas suas liga?es e uma empresa especializada foi chamada para uma varredura. Ela detectou ind?cios de monitoramento ilegal nos telefones de Peluso e do ministro Marco Aur?lio Mello e na linha de fax do ministro Marcelo Ribeiro, do Tribunal Superior Eleitoral.

Com a divulga??o do caso, a PF entrou em cena. Em apenas nove dias, com agilidade incomum, os agentes conclu?ram que n?o havia grampo e indiciaram o dono da empresa por falsa comunica??o de crime. "Fui interrogado durante tr?s dias pela PF", diz o empres?rio Enio Fontenelle, que reafirma a exist?ncia de ind?cios de grampos. Havia interesse de um candidato ou partido por causa da elei??o, tema de que tratavam os ministros Marcelo Ribeiro e Marco Aur?lio? Algu?m na Pol?cia Federal queria monitorar o ministro Peluso, que na ?poca cuidava de uma das a?es da Pol?cia Federal, a Opera??o Furac?o?

Recentemente, as suspeitas se robusteceram. O ministro Marco Aur?lio Mello recebeu uma mensagem eletr?nica de um remetente an?nimo. O missivista informava que os telefones do ministro estavam grampeados e que policiais ofereciam as grava?es em Campo Grande. O mesmo estaria acontecendo com conversas telef?nicas do ministro Celso de Mello. Em outros tempos, uma den?ncia an?nima e t?o pouco circunstanciada n?o receberia aten??o.

No clima atual, Marco Aur?lio pediu uma investiga??o. O caso foi investigado, mas a Po


Tópicos
Compartilhe

veja também

Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar