Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

Mistério: cerca de 10 mil peixes morrem na Barragem de Algodões no PI

A secretaria Municipal de Meio Ambiente de Júlio Borges ainda não se posicionou sobre o caso.

Compartilhe

A colônia de pescadores do município de Júlio Borges, localizado na região Sul do Piauí, amanheceu na última segunda-feira, 08 de junho, com prejuízos devido mortandade de mais de 10 mil peixes criados em 22 tanques na “Barragem Algodões II”, entre os municípios de Curimatá e Júlio Borges. As causas das mortes estão sendo apuradas pelos piscicultores, uma amostra da água já foi colhida e está em análise. 

De acordo as informações, as prováveis causas são envenenamento por ureia, falta de oxigênio suficiente, ração contaminada ou envenenamento secundário de resíduos agrícolas, porém precisa-se aguardar os resultados das análises para saber realmente o que aconteceu.

Reprodução/ Youtube

Segundo o presidente da colônia, atualmente um grupo de 10 pescadores estavam responsáveis pelo criatório de pouco mais de 10 mil peixes, Tilápia e Tambaqui distribuídos em 22 tanques. Edcarlos, calcula que o prejuízo financeiro pode chegar a R$ 100 mil. A colônia conta com 100 associados.

As mortandades são caracterizadas pela morte repentina de um grande número de peixes ou outros animais em um curto período de tempo, geralmente em uma área bem definida. Podem ocorrer com um único grupo ou espécie, mas podem afetar diferentes tipos e tamanhos de organismos ao mesmo tempo; estas características podem revelar causas diferentes para as mortandades.


Conforme o presidente da colônia, essa notícia abalou a todos os piscicultores, pois foram meses de trabalho e muito dinheiro investido nesse projeto. “Em tempos difíceis seria uma forma de conseguir alguma renda, agora não sabemos o que fazer. É aguardar os resultados de análises que ainda estamos tentando fazer para saber o que realmente provocou a morte dos peixes”, disse.  

A secretaria Municipal de Meio Ambiente de Júlio Borges ainda não se posicionou sobre o caso. 

Reprodução

Com informações do Portal Ponto X



Tópicos
Compartilhe
Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar