Moradores evacuam área costeira de Miami por conta do furacão Irma

“O furacão é extremamente perigoso”, alerta o Centro de Furacões

Os moradores da área costeira de Miami tiveram que evacuar toda a região nesta quinta-feira (07), por conta da passagem do furacão Irma. A partir desta sexta-feira (08), toda cidade tem que esta esvaziada pelos próximos três dias. Já faltam combustíveis em muitos postos de combustíveis de Miami e na estrada que liga Miami  a Orlando. Os hospitais vão funcionar as emergências e as cirurgias marcadas até sexta estão confirmadas, mas de sábado e domingo foram canceladas. As escolas e serviços públicos pararam. A polícia está na rua fazendo com que a população saia de casa e procure refugio em locais seguros.

O governador da Flórida, Rick Scott, declarou emergência em 67 condados do Estado. “O furacão Irma é uma grande tempestade e que implica risco de morte, e a Flórida deve estar preparada”, escreveu o governador. Em agosto, completaram-se 25 anos da passagem do furacão Andrew pela Flórida, até o momento o mais mortal na história do Estado, com 65 mortos e 60.000 moradias destruídas. Na segunda-feira, a população de Miami corria aos supermercados para se abastecer com dias de antecedência.

O governo divulgou um mapa dos locais que precisam ser evacuados e as áreas que deve ser evacuadas obrigatoriamente são A e B.

Mapa da evacuação da orla de Miami. Todos os moradores dos prédios de toda essa área em vermelho tiveram que deixar suas residências
Mapa da evacuação da orla de Miami. Todos os moradores dos prédios da área em vermelho tiveram que deixar suas residências

O furacão Irma, o maior já registrado no Oceano Atlântico, com categoria máxima (5) e ventos de 297 quilômetros por hora, varreu nesta manhã as ilhas do Caribe Oriental, enquanto deixa toda a região de Porto Rico até a Flórida em alerta vermelho. O Irma atingiu com "violência extrema" as ilhas de Barbuda, San Bartolomé e San Martín, causando inundações e destruição de infraestruturas. Ainda não há informações precisas sobre danos materiais ou humanos. O governador da Flórida, Rick Scott, disse nesta manhã que se prepara para uma tempestade "com potencial para devastar nosso Estado". Ele enfatizou, ainda, que o Irma "é maior, mais forte e mais rápido do que Andrew", em referência ao furacão de 1992, o mais prejudicial na história recente da península.

Segundo as previsões do Centro Nacional de Furacões dos EUA, entre quinta e sexta-feira, poderia atingir a ilha do Haiti e a República Dominicana, primeiro, e Cuba logo depois. A partir daí, a previsão ainda é incerta, mas, se continuar sua trajetória de ascensão ao noroeste, entre sexta e sábado o furacão — “extremamente perigoso”, alerta o Centro de Furacões — poderia atingir o sul da Flórida, cujo Governo declarou na segunda-feira estado de emergência.

Irma ameaça o Caribe e os EUA poucos dias depois de o furacão Harvey ter devastado o Texas, causando pelo menos 60 mortos e danos materiais de 200 bilhões de dólares (cerca de 620 bilhões de reais). As previsões não descartam que, em vez de ir em direção à Flórida, Irma passe pelo Estreito da Flórida e siga em direção ao Golfo do México. A margem de erro da previsão de quatro ou cinco dias é de 280 a 360 quilômetros.

 (Crédito: Brian Shields - WFTV)
(Crédito: Brian Shields - WFTV)
 (Crédito: Brian Shields - WFTV)
(Crédito: Brian Shields - WFTV)
 (Crédito: Brian Shields - WFTV)
(Crédito: Brian Shields - WFTV)




Fonte: Com informações do El Pais
logomarca do portal meionorte..com