Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore

"Mordi o pit bull para salvar meu irmão", diz jovem de PE

"Mordi o pit bull para salvar meu irmão", diz jovem de PE

"Mordi o pit bull para salvar meu irmão", diz jovem de PE
""Mordi o pit bull para salvar meu irmão"", diz jovem de PE | Divulgação
Compartilhe

A jovem que lutou com dois c?es da ra?a pit bull para salvar o irm?o de 8 anos, em Jaboat?o dos Guararapes (PE), sabe que ainda vai levar muito tempo para que sua rotina volte ao normal. Ela passou por cirurgias e ficou internada 19 dias. O ataque aconteceu em 24 de novembro.

Diariamente, Danielle Ferreira, de 22 anos, faz tratamento com fisioterapeutas e fonoaudi?logos para reaprender a falar e a respirar, ap?s passar por cirurgias de reconstru??o da face. Ela tamb?m se submete a sess?es de drenagem linf?tica para aliviar o incha?o do rosto.

Danielle contou ao G1 que ficou transtornada quando viu o irm?o, Pedro Henrique Jos? da Silva, ser atacado e est? convicta de que, se n?o tivesse interferido, o garoto teria morrido. ?Ouvi minha m?e pedindo para ele descer do muro onde estava sentado e eu fui ajud?-lo. Foi quando o cachorro do vizinho mordeu a bermuda dele e o puxou?, diz Danielle, que pulou o muro para socorrer o irm?o e viu o momento em que o pit bull do vizinho mordeu a nuca do garoto.

?Fiquei t?o transtornada que comecei a chutar o bicho, mas ele n?o soltava, ent?o eu me atraquei com ele, bati muito. At? mordi o pit bull para salvar meu irm?o, foi quando o cachorro largou Pedro?, afirma. O c?o soltou o irm?o e mordeu Danielle. Pouco depois, o outro pit bull que estava no quintal tamb?m atacou a jovem. Dois vizinhos que passavam pelo local socorreram a garota e o menino.

Um dos rapazes atirou em um dos animais, que morreu. O outro c?o fugiu, mas reapareceu alguns dias depois e continua na casa da vizinha, segundo Danielle. Ela disse que os donos dos c?es n?o ajudaram a pagar as despesas. "Eles falaram comigo apenas uma vez ap?s o ataque", diz.

Otimismo

Apesar de estar com o cabelo raspado, por causa de uma cirurgia na cabe?a, e com o rosto ainda inchado, Danielle procura se manter otimista. ?Agora n?o ? hora de pensar em vaidade. O importante ? que estou viva e salvei meu irm?o. Faria tudo novamente se fosse preciso?, diz.

A jovem contou que m?dicos estimam que sua recupera??o demore cerca de um ano e meio. ?Meu rosto ainda est? com muitos pontos, n?o consigo mastigar e s? me alimento com l?quidos. No ano que vem, vou fazer pl?sticas para tentar acabar com as cicatrizes, mas n?o ? o que me preocupa agora.?

Danielle, que est? no ?ltimo semestre do curso de Zootecnia, lamenta apenas que o ataque fez com que desistisse de muitos planos. Ela pretendia fazer um est?gio no exterior, mas n?o poder? ir por causa do tratamento prolongado.


Tópicos
Compartilhe
Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar