Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore

Motoristas da Uber de Teresina aderem à greve global e param por 24h

Diversos estados brasileiros aderiam à paralisação nesta quarta-feira

Compartilhe

A Uber é um dos mais famosos aplicativos de motoristas do Brasil. Fundada em 2009 por Garrett Camp e Travis Kalanick, na Califórnia, o aplicativo chegou para os brasileiros em 2014 e foi se popularizando e ganhando espaço entre os meios de transportes particulares em Teresina. 

Motoristas da Uber protestam no estacionamento da Ponte Estaiada / Ananda Soares


A empresa pretende lançar ações na Bolsa dos Estados Unidos ainda este ano. Mas os motoristas da Uber não estão satisfeitos com suas condições de trabalho . Sendo assim, eles decretaram, a partir das 00:00 do dia 7 abril, uma greve mundial que pretende durar 24 horas. Em Teresina, os motoristas se concentraram no estacionamento da Ponte Estaiada e protestam por direitos e melhorias. As reivindicações são pelo aumento do valor que é passado aos motoristas, que mesmo com o crescimento da empresa, não tiveram um acréscimo no valor por quilômetro rodado. A sugestão é que haja um reajuste na tarifa que é cobrada ao passageiro, tendo em vista a alta da gasolina.

“É uma mobilização global que tem como objetivo reivindicar os direitos que a gente tem junto ao aplicativo como a transparência da questão dos ganhos por não serem totalmente apresentadas. Tem também as taxas que ela cobra dos motoristas que são muito altas.No próprio termo que ela disponibiliza para o motorista, ela diz que cobra 25% mas se você for calcular uma média de 15 viagens ela cobra de 30% a 35%”, explica o motorista e integrante da Associação de Motoristas Autônomos para Transporte Privado Individual e Passageiros no Piauí (AMATEPI). 

A falta de transparência, como afirma o motorista também afeta a segurança do aplicativo e atinge diretamente no bolso dos passageiros. Beto carvalho trabalha empresa há quase 2 anos e diz que necessita de apoio das plataformas. "Precisamos de segurança, melhorias das tecnologias e apoio financeiro. As taxas continuam com o mesmo preço há 3 anos. Em contrapartida o combustível vem atacando muito nosso trabalho. Alguns aplicativos caíram o preço da tarifa mesmo com o aumento da gasolina. A gente fica sem saber o que fazer, porque nos afeta. Os preços estão defasados.  Estamos sucateado nossos carros para conseguir bater as metas dos aplicativos”, afirma.


Tópicos
Compartilhe
Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar