Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

Mulher e ex foram mortos após xingarem dona de festa de “vagabunda”

Os dois foram mortos a facadas e tijoladas; polícia investiga crime

Compartilhe

Investigadores da 6ª Delegacia de Polícia acreditam que os assassinatos de Roseli Sousa Santos, 33 anos, e Aneilton Vitorino da Silva, 29, no fim de semana, tenham acontecido após as vítimas chamarem a dona da casa onde ocorria uma festa de “vagabunda”, na região do Café Sem Troco, no Paranoá. Segundo testemunhas, o companheiro da mulher teria se irritado e iniciado a confusão. Ele é o suspeito do duplo homicídio. 

Segundo a Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), a mulher ofendida é também proprietária da casa onde ocorria a festa. Revoltado com a ofensa, o companheiro dela teria pegado uma faca e golpeado Rose primeiro. Aneilton, então, saiu em defesa da ex-esposa e mãe de seus filhos e, em luta corporal com o suspeito, acabou levando 10 facadas. 

O companheiro da aniversariante teria, ainda, utilizado tijolos para matar Aneilton. Os golpes foram desferidos na região da cabeça da vítima. A PCDF tenta, agora, ouvir os demais participantes da festa que testemunharam os fatos. A faca utilizada no crime foi apreendida. 

A titular da 6ª DP, delegada Jane Klébia, diz que uma outra linha de investigação também será considerada pelos policiais: a de que Aneilton teria matado Roseli e, em seguida, foi linchado até a morte.  Para ela, o casal dono da residência onde ocorria uma festa de aniversário é peça-chave para o esclarecimento do crime. 

Os dois não foram localizados pela polícia. Até o momento, o que se sabe é que Roseli e Aneilton estavam separados há cerca de três meses. Eles foram casados por 10 anos e tinham sete filhos juntos. Há histórico de violência doméstica, mas a mulher nunca registrou ocorrência contra o companheiro porque não acreditava, conforme relatos de testemunhas, que ele iria fazer mal a ela.

Por volta das 5h, o pai da dona da casa estranhou que o som da festa foi desligado de repente. Ao chegar ao imóvel, se deparou com a casa vazia e o corpo de Roseli estendido no chão da cozinha. Ela foi atingida com pelo menos duas facadas no pescoço. No quintal, Aneilton estava de bruços. Além de socos e tijoladas, o homem levou 10 facadas, e ainda foi agredido com a grelha de churrasco e um rodo.

A versão inicial, confirmada pela delegada por volta das 9h30 de domingo (01/09/2019), era de feminicídio seguido de linchamento. Porém, no início da tarde, a reviravolta. Após relatos conflitantes de testemunhas, surgiu a nova linha de investigação: duplo homicídio.

“Recebi a notícia pela polícia. Ele era uma pessoa tranquila, mas do mundão. Eu não posso negar porque era meu filho. Muito ruim saber que ele morreu”, disse o pai de Aneilton, Anivan Vitorino da Silva. “Eu soube que era meu ex-cunhado, mas não sabia que a minha irmã também tinha sido morta. Ela tinha voltado para casa e não falou que iria para a festa. Não sabemos o que fazer para cuidar das crianças. Minha mãe está vindo de Minas”, lamentou Selma Souza, irmã de Roseli.


Tópicos
Compartilhe

veja também

Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar