Mulher que não sabia de gravidez dar à luz em ponto de ônibus

O marido afirmou que a mulher não sabia que estava grávida

Uma grávida deu à luz em um ponto de ônibus, no bairro Jardim América, na região oeste de Belo Horizonte, nesta quarta-feira (24). Segundo o marido, eles não sabiam que ela estava esperando um bebê. A mulher chegou a ir a Upa (Unidade de Pronto Atendimento) Oeste procurando atendimento, com dores, mas como estava lotada, resolveu voltar pra casa.

Testemunhas contaram que Cristiane de Oliveira, de 42 anos, estava em pé quando entrou em trabalho de parto, a poucos metros da unidade de saúde. De acordo com Damião Carlos Fagundes, marido de Cristiane, a mulher começou a gritar que estava “saindo”, questionada sobre o que estaria saindo, ela respondeu que era uma criança. O bebê só não caiu porque ficou preso na bermuda da mãe. As pessoas que estavam no local ampararam a mulher até que enfermeiros chegassem.


Cristiane, que estava acompanhada pelo Fagundes, foi atendida na Upa e encaminhada a uma maternidade da cidade. Fagundes contou que a mulher não sabia da gravidez. Segundo ele, Cristiane suspeitou estar com infecção de urina após a barriga dela endurecer. Ela teria começado a sentir dores nos últimos três dias. Minutos antes de dar à luz, a mulher tinha procurado atendimento na Upa. Ela chegou sentindo dores, registrou a ficha, mas decidiu ir embora quando percebeu que ia demorar a ser atendida. O mesmo já tinha acontecido no dia anterior. Ela foi à unidade e foi embora por causa da superlotação.

A obstetra Caroline Reis explica que, apesar de a história ser curiosa, o fato da mulher ter descoberto a gravidez apenas na hora do parto, é possível.

— Caso em que a pessoa talvez tenha uma obesidade, que pode mascarar o aumento do abdômen ou então em períodos da idade em que ela tem a expectativa de ter menstruações constantes.

O bebê é menino e é o quinto filho do casal. A SMSA (Secretaria Municipal de Saúde) informou que a paciente procurou a Upa Oeste relatando dor abdominal. No acolhimento, foi perguntando à paciente a possibilidade de uma gravidez e ela negou, dizendo que já teria entrado na menopausa. Mesmo sendo triada como prioridade, a paciente recusou atendimento e saiu da unidade. Poucos minutos depois, um familiar retornou relatando que a mulher estava passando mal. A equipe realizou o início do atendimento fora da unidade, fazendo o transporte por meio de maca.

Fonte: r7