Mutirões cirúrgicos atenderam quase 1500 pacientes no HGV em 2017

Em 2017, o hospital já promoveu 50 mutirões

O Hospital Getúlio Vargas (HGV) finaliza o ano com resultados positivos. Em 2017, o hospital já promoveu 50 mutirões, que resultaram em mais de 1.445 pessoas atendidas. Mais duas ações acontecem neste sábado (23), e no próximo (30).

Ao todo, desde o início dos mutirões, em julho de 2015, foram beneficiados quase três mil pessoas, em 104 mutirões. Com a ação, uma iniciativa da Fundação Hospitalar do Piauí, em parceria com a Secretaria de Estado da Saúde, o tempo nas filas de espera por um procedimento cirúrgico foi reduzido em mais de 70%.

Para a diretora geral do HGV, Clara Leal, os mutirões de cirurgias estão conseguindo dar vazão às filas para procedimentos eletivos e transformando-as em uma fila de resultados. “A gente tem conseguido superar a expectativa. Em pouco mais de dois anos, foram 104 mutirões realizados e quase três mil pacientes beneficiados. E a gente percebe uma diminuição gradativa na fila e, principalmente, no tempo de espera, apesar de novas inserções todos os dias”, garante a diretora.

Segundo o presidente da Fundação Hospitalar do Piauí, Pablo Santos, havia uma necessidade de agilidade e ampliação nos atendimentos cirúrgicos e os mutirões estão favorecendo esse processo. "Começamos a gestão do HGV com o compromisso de otimizar as necessidades imprescindíveis do hospital. Seguindo um eficiente planejamento já em execução elaborado pela Dra. Clara Leal, estamos acelerando os atendimentos e reduzindo a espera dos pacientes. Satisfatoriamente, estamos cumprindo a agenda dos mutirões e quem ganha é a população", declara. 

Ainda em dezembro, estão programadas mobilizações nas especialidades de cirurgia plástica, neste sábado (23), e, fechando a programação de 2017, novamente, ortopedia, no dia 30.

Atendimentos em 2017 
De janeiro a novembro de 2017, o Hospital Getúlio Vargas (HGV) realizou 10.638 internações, num total de 13.650 cirurgias. Foram realizados também 74.880 atendimentos ambulatoriais e 166.068 exames complementares. O hospital realizou também 105 transplantes, sendo 75 de córnea e 30 de rins. Além de 26 captações de órgãos através da Organização de Procura de Órgãos do HGV (OPO).

No Serviço de Hemodinâmica, foram realizados 1.040 procedimentos entre Angiografias, embolizações de aneurismas, angioplastias, cateterismos e mais 551 procedimentos endovasculares. Esses procedimentos de alta complexidade somente são realizados no HGV.

Perspectivas para 2018
Segundo a diretora do HGV, a proposta é melhorar cada vez mais o serviço. “Estamos com novos projetos, tal como a implantação de um sistema de gestão hospitalar, que vai implantar o prontuário eletrônico do paciente. Esse Sistema oferecerá maior eficiência e qualidade na assistência ao paciente, dando agilidade aos seus processos”, destaca Clara Leal.

Ela ressalta ainda que, estão em andamento processos licitatórios na SESAPI para aquisição de novos equipamentos. “São recursos que visam oferecer melhores condições de trabalho para os profissionais e, conseqüentemente, para os pacientes. O primeiro equipamento a chegar será o tomógrafo de 64 canais, com previsão para o começo do próximo ano”, explica Leal.

Outro projeto já em andamento que vai proporcionar uma ampliação do número de cirurgias é a construção de 20 leitos de UTI. O número de leitos passará de 20 para 40. "Isso vai permitir que seja realizado um volume maior de cirurgias, agilizando ainda mais o tempo de espera por um procedimento no HGV”, enfatiza a diretora.

Clara Leal diz que está animada também com o projeto de climatização das enfermarias do hospital. "Já recebemos os ar-condicionados e está em processo de compra uma nova subestação e execução das instalações. Isso vai proporcionar mais conforto e humanização no atendimento", pontua. 

Outra boa notícia vem da Fundação Hospitalar. Pablo Santos informa que serão abertas mais cinco salas cirúrgicas no hospital, que irão favorecer a realização dos mutirões e o atendimento no hospital. "Vamos abrir uma nova sala a cada três meses. Isso vai aumentar ainda mais o número de atendimentos e intensificar as ações de Fundação para melhoria na Saúde. Inclusive, iremos expandir essas melhorias para todos os hospitais geridos pela Fepiserh", declara.

Fonte: Com informações do Portal do Governo
logomarca do portal meionorte..com