Na web, Katia Abreu chama Geddel Vieira Lima de "bandido"

Ela publicou uma foto montagem em rede social

Katia Abreu , que foi ministra da Agricultura durante o governo da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), publicou uma fotomontagem em seu perfil. Nela, continha uma imagem de uma faixa utilizada em uma manifestação, com os dizeres: “pessoas não morrem nas filas dos hospitais! Elas são assassinadas pela corrupção”.

Na mesma montagem, foi colocada uma foto de Geddel e das malas de dinheiro apreendidas pela Polícia Federal no início do mês  em um imóvel em Salvador (BA) atribuído ao ex-ministro. Foram encontrados no local cerca de R$ 51 milhões em espécie. A suspeita é de que o dinheiro seja oriundo de propina em esquema na Caixa Econômica Federal, banco do qual o peemedebista já foi vice-presidente de Pessoa Jurídica.

"Cadeia foi feita para bandido", disse a senadora Katia Abreu sobre o colega Geddel Vieira Lima   (Crédito: Reprodução/Twitter)
"Cadeia foi feita para bandido", disse a senadora Katia Abreu sobre o colega Geddel Vieira Lima (Crédito: Reprodução/Twitter)


Acima da montagem, a senadora postou a seguinte legenda: “cadeia foi feita para bandido”. Na sexta-feira (15), ela havia dado mais uma declaração polêmica contra outro integrante do governo Michel Temer (PMDB). Em entrevista ao jornal “Folha de S.Paulo”, Abreu defendeu que o ministro da Agricultura, Blairo Maggi, deixe o cargo após ter sido alvo de uma operação de busca e apreensão da Polícia Federal, na semana passada. Ele é suspeito de integrar um esquema de corrupção no Mato Grosso, estado que governou entre 2003 e 2010.

Kátia Abreu
Kátia Abreu


Afastamento

Na última quinta-feira (14), o PMDB anunciou o afastamento da senadora de suas atividades parlamentares por 60 dias. A decisão foi comunicada ao Senado em um documento assinado pelo presidente da sigla, o senador Romero Jucá (RR), que também é envolvido em uma série de escândalos na Justiça.

O motivo do afastamento da senadora – que foi uma das principais aliadas de Dilma – são as duras críticas feitas por ela ao partido e ao governo de Michel Temer. “Neste exato momento, a preocupação do PMDB deveria provar que não é uma organização criminosa, um quadrilhão. Eu estou longe de ser um problema para o PMDB. Sigo minha vida”, disse Katia Abreu, por meio de sua assessoria de imprensa após ser notificada sobre a decisão da legenda.

Afastada de suas atividades partidárias, a senadora Katia Abreu (PMDB-TO) chamou de bandido o seu correligionário Geddel Vieira Lima, preso pela Polícia Federal pela segunda vez no dia 8 de setembro. A provocação foi feita por meio do perfil da parlamentar no Twitter na madrugada deste domingo (17).



Fonte: ig
logomarca do portal meionorte..com