'Pablo Escobar me estuprou', dispara amante do narcotraficante

Ela escreveu o livro: Amando Pablo, Odiando Escobar.

Virginia Vallejo, que foi amante de Pablo Escobar, concedeu entrevista para a Revista Marie Claire, onde fez revelações bombásticas acerca do relacionamento com o narcotraficante colombiano. A jornalista de 67 anos, autora do livro Amando Pablo, Odiando Escobar, chocou ao dizer que foi estuprada e asfixiada pelo amante.

Ela contou como conheceu Pablo e revelou que antes de se relacionar com ele mantinha caso com outro homem importante, na época. "Estava saindo com Aníbal Turbay [empresário colombiano], que era divorciado. Era o homem mais sexy do mundo. Não era o mais rico ou poderoso, mas muito sexy. E cheirava muita cocaína. Foi com ele que fui a Nápoles, a fazenda de Pablo, pela primeira vez. Levamos os filhos dele, que estudavam na Suíça e estavam de férias na Colômbia, para conhecer o zoológico. Disse que Pablo queria ser político e fazer caridade. Fomos de avião, com mais alguns casais, e assim começa a história [risos]", disse. 

Virginia Vallejo
Virginia Vallejo (Crédito: Dora Franco)

Ainda sobre o primeiro encontro com o narcotraficante, ela diz ter sido salva por ele. "Nessa visita, ele salvou minha vida. [Virginia quase se afogou durante um banho de rio. Quando balançou os braços pedindo socorro, os amigos acharam que estava brincando. Só Pablo percebeu que estava em apuros e foi resgatá-la.] Depois, ele salvou o meu traseiro [risos]. Nessa época, eu tinha um programa que era transmitido todos os dias às 6 da tarde", continuou. 

A jornalista, que  garante nunca ter sido cúmplice de Escobar, choca ao contar que foi abusada sexualmente pelo amante traficante. "Ele me estuprou. Fez porque acreditava que eu iria viver na Europa com Gilberto Rodríguez [chefe do cartel de Cali e inimigo de Escobar]. Pensei por um momento em viver com Gilberto, tenho que ser honesta. Não quero descrever essa cena em detalhes porque está muito bem contada no livro. Mas ele me asfixiou com um travesseiro enquanto me estuprava. Queria me matar e não teve coragem. Eu chorava e ele também. Ele gemia como uma fera, um leão. Quando terminou, comecei a me arrumar para ir embora. Ao me ver linda, sentou-se em um colchão no chão, olhando para baixo. Ele não pediu desculpas, mas a linguagem corporal disse tudo. Eu estava com raiva e disse que ele gostava de ficar com meninas inocentes – tinha uma predileção por virgens – porque elas não fazem comparações com grandes amantes. Ele tinha o pênis pequeno e fazia amor como um menino do campo, não era bom de cama. E sabia que meu ex, Aníbal, tinha fama de ser o melhor amante do mundo, um mito em dois continentes [risos]", revelou. 

Pablo Escobar (Crédito: Reprodução)
Pablo Escobar (Crédito: Reprodução)



Fonte: Com informações da Revistamarieclaire