A pequena Wind, uma filhote de peixe-boi resgatada na Praia de Macapá, em Luís Correia, na última quarta-feira (27), passará por reabilitação na Ilha de Itamaracá, em Pernambuco, onde fica localizado o Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Mamíferos Aquáticos, do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio/CMA), referência no manejo do peixe-boi.

Ela chegou a Recife (PE) na manhã desta sexta-feira (29), em uma aeronave disponibilizada pelo Governo do Piauí. Segundo o Governo, Wind estava debilitada e não suportaria uma viagem de carro até a unidade do ICMBio/CMA na Ilha de Itamaracá. 

Filhote de peixe boi encontrado no Piauí foi levado a Pernambuco onde passará por reabilitação | FOTO: DivulgaçãoFilhote de peixe boi encontrado no Piauí foi levado a Pernambuco onde passará por reabilitação | FOTO: Divulgação

A viagem foi tranquila, segundo os veterinários que acompanharam a filhote de peixe-boi.

Bebê órfã

Wind se perdeu da mãe e foi encontrada próximo da Área de Proteção Ambiental (APA) Delta do Parnaíba, na praia de Macapá, em Luís Correia. O animal foi resgatado pela equipe da Comissão Ilha Ativa, instituição que atua na preservação de espécies na região do Delta. Wind ficou numa piscina, na base do ICMBio, no município de Cajueiro da Praia, sendo alimentada e medicada.

O chefe da APA, Adriano Ricardo, pediu ajuda do Governo do Piauí para transferência do animal, que apresentava machucados no dorso, possivelmente provocado por hélice de embarcação.

Adriano Ricardo advertiu que a órfão de peixe-boi precisava de tratamento especializado urgente, que só é disponibilizado pelo Centro de Mamíferos Aquático, para que o animal pudesse ser cuidado e reabilitado para retorno ao habitat natural.

Wind, a peixe boi encontrada encalhada na Praia de Macapá, no litoral do Piauí | FOTO: DivulgaçãoWind, a peixe boi encontrada encalhada na Praia de Macapá, no litoral do Piauí | FOTO: Divulgação

O CMA

O Centro de Mamíferos Aquáticos para onde Wind foi levaga possui uma Base Avançada com localização estratégica na Ilha de Itamaracá, litoral de Pernambuco. Em uma área de 33 hectares a base abriga laboratórios, bibliotecas e outros prédios que são usados para desenvolver a pesquisa e conservação de mamíferos aquáticos de todo o Brasil.

O Centro também desenvolve, implanta e mantém bancos de dados nacionais e internacionais sobre pesquisas e projetos de conservação e manejo de mamíferos aquáticos, também subsidia tecnicamente a adoção de medidas de conservação e manejo das espécies e auxilia na implementação e criação das Unidades de Conservação federais marinhas, costeiras e da bacia Amazônica.






Ver esta publicação no Instagram










Uma publicação partilhada por Apa Delta Do Parnaíba- ICMBio (@icmbioapadelta_)