Mulher que matou a própria neta é condenada a 41 anos de prisão

A fatalidade ocorreu no dia 16 de novembro de 2013

Uma sessão do Tribunal de Popular do Júri, conduzida pelo juiz Dr. Marcos Augusto Cavalcanti Dias, condenou Maria Valdeni da Silva Alencar, autora de um crime bárbaro. Ela asfixiou até a morte sua própria neta de um dia de vida e enterrou o corpo da recém-nascida no quintal de casa, no município de Padre Marcos.

A fatalidade ocorreu no dia 16 de novembro de 2013. Maria Valdeni foi presa cinco dias após o crime e o cadáver encontrado por policiais. Após o julgamento, a mulher foi condenada a 41 anos e 2 meses de prisão e ao pagamento de 30 dias multa.

O promotor de justiça Dr. Antônio César Gonçalves Barbosa, do Ministério Público, requereu a condenação da acusada pela prática de dois crimes, de homicídio duplamente qualificado, por motivo torpe e com emprego de asfixia, e de ocultação de cadáver. Já o advogado Davi Benevides, defendeu a absolvição da ré e, subsidiariamente, pela desclassificação do crime doloso contra a vida para crime de infanticídio.

Todavia, o Conselho de Sentença, em votação secreta, decidiu pela condenação da acusada. A sentença, composta por sete páginas, foi proferida pelo juiz da Comarca.

O juiz negou a Maria Valdeni da Silva Alencar o direito de recorrer da sentença em liberdade e determinou a expedição imediata do mandado de prisão e da guia de recolhimento provisória. Ela saiu do julgamento conduzida pela Polícia Militar, foi levada ao Grupamento local, de onde será transferida para a Penitenciária Feminina de Picos.


Fonte: Com informações do Cidades na Net
logomarca do portal meionorte..com